O fotógrafo norte-americano Florest McMullin passou uma parte significativa de sua carreira registrando fotos do que ele chama de “grupos sociais marginais”. Nos ensaios, ele oferece um olhar íntimo sobre a vida de  homens encarcerados em Nova York  até grupos religiosos na Pensilvânia, destacando pontos ‘invisíveis’ na cultura estadunidense.

Tal é o caso do ensaio “Day & Night” (Dia e Noite). Nele, o fotógrafo registra retratos de homens e mulheres que vivem uma ‘vida dupla’. Durante o dia, elas são mães e eles empresários que levam uma vida normal. À noite, porém, os personagens do ensaio de McMullin rompem os tabus sexuais com prazer: são defensores convictos do BDSM (Bondage, Disciplina, Submissão, Sadismo e Masoquismo).

A ideia do trabalho é desmitificar a ideia de praticantes da técnica sexual e revelar as verdadeiras identidades dos adeptos ao sadomasoquismo: pessoas jovens ou idosas, solteiros ou casados, das mais variadas origens econômicas, sociais e educacionais. Veja algumas imagens do ensaio:

Via Huffington Post