O e-commerce brasileiro faturou R$8,7 bilhões no período do Natal, crescimento de 13% na comparação com os R$7,7 bilhões registrados no mesmo período de 2016, segundo a Ebit. O número de pedidos teve crescimento de 13,3%, de 16,83 milhões para 19,06 milhões.

Diante do crescimento deste mercado e a recuperação econômica, é comum que empresários de diversos setores enxerguem nas plataformas eletrônicas uma alternativa para alavancar o faturamento de suas empresas. Outros, porém, apostam no e-commerce como única fonte de receita.

iStock/Getty Images

Créditos: iStock/Getty Images

Em meio à crise do desemprego, muitos brasileiros recorrem às vendas virtuais para ganhar dinheiro

Antes de apostar neste mercado, contudo, é preciso tomar alguns cuidados para evitar os erros mais comuns dos empreendedores do setor.

Pensando nisso, Sandro Ivo Pionkowski, diretor comercial e de marketing do Grupo DCG, desenvolvedor das plataformas para e-commerce Core, Ez Commerce e Octopus, listou seis dicas para quem planeja investir em comércio eletrônico.

“No calor dia dia-a-dia, muitas vezes acabamos nos esquecendo da operação do e-commerce como um todo, se focando apenas no site. É preciso que o empresário se atente o tempo todo na logística, em ferramentas de marketing e na gestão financeira”, explica o executivo.

Confira as dicas: 

  • 1. Planejamento

Não precisa ser um trabalho de conclusão. O empresário precisa endereçar os principais pontos. Ele precisa saber quais os custos totais do negócio para saber como estruturar a sua operação. Exemplo: quanto vou gastar com fornecedores? Quais produtos serão vendidos? O fornecedor é o seu principal aliado. É preciso ter uma boa relação com ele para obter condições diferenciadas. Isso ajuda a abater o custo da mercadoria. No comércio eletrônico, ter um preço de venda agressivo é fator chave para o sucesso.

  • 2. Investir em nichos

Grande parte dos clientes sabem exatamente o que querem comprar, mas desconhecem um local (meio eletrônico) para isso. Existe um paradigma: ah, não conhece, então coloque no buscador! Lá você encontrará alguém. Quando você investe em um nicho, fica muito mais fácil para o comprador encontrá-lo no momento da busca.

  • 3. Escolha um bom fornecedor de tecnologia

Escolha um bom fornecedor de tecnologia, a começar pela plataforma do seu e-commerce. Ou seja, o primeiro sistema para que tudo funcione. Depois, foque na escolha de um sistema de gestão eficiente para o seu negócio. Por fim, é relevante destacar que existem inúmeras outras ferramentas que podem ser dispensáveis em um estágio inicial, mas que vão aprimorar os seus resultados conforme a expansão do seu e-commerce.

  • 4. Logística eficiente

A logística é parte fundamental. É o grande gargalo do setor. Frete barato e entregas mais rápidas conquistam o consumidor, mas é preciso ter atenção com o pós-venda e a logística reversa. Cuide deste assunto, sempre!

  • 5. Conheça o mercado

Saiba o que os seus concorrentes estão fazendo. Busque informações a sua volta, estude, leia. Veja o que está acontecendo no seu mercado e busque novidades.

  • 6. Marketplaces

Use o poder dos marketplaces. Para um estreante no comércio eletrônico, pode ser uma forma de testar tanto o seu negócio, quanto a operação. Para quem já é um lojista online, uma excelente opção para aumentar as vendas.