No início do século XX, os primeiros imigrantes italianos chegaram ao bairro do Bixiga. Junto com eles, uma imagem de Nossa Senhora Achiropita, que ganhou um altar de madeira na rua de terra batida. Missas e festas eram realizadas na região com o objetivo de construir uma capela para ela.

Nossa Senhora Achiropita foi ganhando espaço, cativando e mobilizando cada vez mais os moradores. Durante a Segunda Guerra Mundial as quermesses tiveram de cessar. Mas as festas voltaram com força na década de 1950 e, desde então, só crescem.

Na década seguinte, surgiu a primeira barraca de comida. Senhoras da comunidade vendiam sanduíches de pernil, que foram muito bem recebidos pelos participantes.

Provavelmente, nesta época, os organizadores nem imaginavam que o sucesso seria tanto e que seria preciso toneladas de alimento para a preparação dos diversos pratos italianos. Nem imaginavam que uma barraca, que apareceu pela primeira vez em 1979, venderia em apenas uma noite 12 mil fogazzas.

São visitantes de diversos lugares que enchem a rua para aproveitar uma das festas mais tradicionais do país. O sucesso não é à toa, quem gosta de uma boa comida ainda pode encontrar pizzas, polenta, melanzana ao forno, sardela, churrasco, além de sfogliateli, canoli, entre muitas outras.

A Festa da Achiropita acontece na rua Treze de Maio, 478, e nas ruas Doutor Luís Barreto e São Vicente; até 2 de setembro, aos sábados, das 18h às 24h; e domingos, das 17h30 às 22h30.