Um novo dispositivo criado por cientistas americanos converte a energia liberada pelo coração em eletricidade para manter um marca-passo em funcionamento. O estudo foi apresentado nas Sessões Científicas de 2012 da Associação Americana do Coração, em Los Angeles.

Créditos:

Aparelhos que regulam os batimentos por meio de impulsos elétricos

Segundo os autores, os resultados sugerem que as pessoas poderiam alimentar sozinhas seus marca-passos – aparelhos que regulam os batimentos por meio de impulsos elétricos –, sem a necessidade de substituir as baterias a cada cinco ou sete anos, procedimento considerado caro e inconveniente.

"Muitos dos pacientes são crianças que vivem com esses dispositivos por muitos anos. Então dá para imaginar quantas operações podem ser evitadas se essa nova tecnologia for implementada", diz o principal autor do trabalho, Amin Karami, do Departamento de Engenharia Aeroespacial da Universidade de Michigan, na cidade de Ann Arbor.

Em laboratório, os cientistas mediram as vibrações no peito induzidas pelos batimentos cardíacos. Uma espécie de "agitador" reproduziu essas oscilações e foi conectado a um protótipo para "recolher" a energia cardíaca. Isso possibilitou que o marca-passo gerasse mais de dez vezes a potência dos atuais.

Além disso, o novo dispositivo tem ímãs para aumentar a produção de energia e torná-lo menos sensível a variações do ritmo cardíaco. Ele gera eletricidade suficiente para 20 a 600 batimentos por minuto.

O próximo estágio, de acordo com os autores, é implantar esse equipamento que capta a energia, que tem metade do tamanho das pilhas usadas hoje em marca-passos, e integrar a novidade aos produtos comerciais.