Desde à meia-noite do dia 25, os limites máximos de velocidades nas marginais de São Paulo foram restabelecidos pela prefeitura de João Doria (PSDB). Logo no primeiro dia de mudança, uma equipe de reportagem da Folha de S. Paulo flagrou um acidente próximo à ponte Cidade Jardim, na região do Itaim Bibi, zona oeste de São Paulo, à 1h45.

Imagem ilustrativa

Créditos: iStock/conejota

Imagem ilustrativa

De acordo com a reportagem, o motorista perdeu o controle da direção em um trecho de 90 km/h na pista expressa da marginal Pinheiros e bateu o carro contra a mureta de proteção. Segundo Agentes da CET que estvam no local, o homem abandonou o carro e estava visivelmente alcoolizado.

As velocidades máximas foram reajustadas de 70 km/h para 90 km/h (pista expressa), de 60 km/h para 70 km/h (central), e 50 km/h para 60 km/h (local). A exceção é a faixa mais à direita da pista local, que permanece com o antigo limite de 50 km/h, implementado durante o mandato de Fernando Haddad (PT), em julho de 2015.

O prefeito, que enfrentou inúmeras críticas de especialistas de trânsito e ativistas em relação aos riscos da medida, prometeu quatro ambulâncias fixas do Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência), que fazem parte do projeto recém-implementado "Marginal Segura". No entanto, segundo a reportagem, nenhuma das ambulâncias foi vista.

No anúncio do programa, Doria disse contar com apoio majoritário da opinião pública para elevar as velocidades e prometeu um amplo pacote de sinalização, orientação e fiscalização para combater os problemas dessas vias.

Saiba mais: