A gestão do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), recorreu nesta segunda-feira, dia 23, da liminar que barrou o aumento das velocidades máximas permitidas nas Marginais Tietê e Pinheiros. Os novos limites entrariam em vigor nesta quarta-feira, dia 25.

A Prefeitura e a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) pedem, por meio de agravo de instrumento, efeito suspensivo contra a decisão do juiz da Fazenda Pública que acolheu ação da Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo (Ciclocidade). O agravo foi distribuído para a 13.ª Câmara de Direito Público do TJ.

A gestão do prefeito recorreu da decisão que impede o aumento da velocidade nas marginais

Créditos: Reprodução / Wikipedia

A gestão do prefeito recorreu da decisão que impede o aumento da velocidade nas marginais

A ação movida pelo Ciclocidade tem como principal argumento a falta de embasamento técnico do prefeito que garanta a segurança nas vias com o aumento da velocidade.

De acordo com informações da "Folha de S.Paulo", Doria disse ter entregue os estudos. "Os cicloativistas pensam que a gente está brincando. A gente não está brincando de fazer prefeitura. O estudo foi apresentado para a Promotoria", afirmou.

Ao Catraca Livre, a assessoria de imprensa da Prefeitura informou que "o aumento da velocidade nas marginais será feito de forma responsável e segura".

"Haverá um programa, Marginal Segura, com ações integradas de reforço da sinalização, fiscalização e informação. No âmbito da sinalização, serão feitas intervenções da engenharia de trânsito, como por exemplo, a instalação de lombofaixas", diz o comunicado enviado à imprensa.

Além disso, segundo a nota, haverá campanhas educativas voltadas aos pedestres, ciclistas e motoristas e a fiscalização do comércio ambulante e de motos que trafegam pelas vias será intensificada.

"A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social irá trabalhar junto as pessoas em situação de rua que vivem nas marginais e no entorno. Agentes de trânsito e atendimento emergencial estarão posicionados em pontos estratégicos para, caso necessário, atendimento imediato", finaliza o texto.

Leia a reportagem na íntegra.