Cerca de 85% das mulheres brasileiras têm receio de sofrer violência sexual. Entre as jovens, 90% já deixaram de fazer alguma coisa por medo. O Brasil ocupa o quinto lugar no ranking mundial que mede as taxas de assassinatos de mulheres.

Muitas mulheres já relataram ter sofrido abuso dentro de veículos de aplicativos de transporte. Por isso, em referência ao Mês da Mulher, os apps Uber e 99 lançaram campanhas com o objetivo de conscientizar os motoristas a respeito do assédio sexual e o machismo com as passageiras.

O objetivo é conscientizar os motoristas sobre a violência contra as passageiras

Créditos: iStock / South_agency

O objetivo é conscientizar os motoristas sobre a violência contra as passageiras

99 e Vamos Juntas? 

A "99", que instalou recentemente a função opcional "Motorista Mulher" no aplicativo, agora fechou uma parceria com o movimento "Vamos Juntas?", criado pela jornalista e feminista Babi Souza.

A ideia é fornecer treinamento para orientar e conscientizar os motoristas homens a zelarem pela segurança e bem-estar das passageiras mulheres.

O movimento e a empresa realizaram diversos workshops presenciais e on-line com recomendações sobre o tema. Eles também fizeram a distribuição de uma cartilha que aborda como proceder em cada caso de assédio identificado, seja dentro ou fora do carro.

"A ideia é ajudar o motorista a lidar com situações críticas envolvendo mulheres. Um caso onde se perceba desconforto com um acompanhante embriagado e forçando uma situação, por exemplo, o recomendado é olhar diretamente nos olhos da mulher e perguntar se ela está bem, se prefere ir para outro destino que o anunciado. Um ato simples como este pode evitar uma situação delicada", explica Babi Souza.

Os motoristas que participaram do workshop receberam um adesivo mostrando que estão em treinamento. Ao longo do tempo, eles terão suas corridas avaliadas e o que tiverem as melhores notas vão receber um selo definitivo.

Uber e CLAUDIA

Já a "Uber" se uniu com a "CLAUDIA" para compilar dicas que possam ajudar os motoristas parceiros do aplicativo a entender como se sentem as suas passageiras mulheres, ajudando-os a lidar melhor com diversas situações do dia a dia.

O resultado dessa parceria é uma cartilha que está sendo distribuída em todos os mais de 30 centros de atendimento da "Uber" no país. Uma versão digital do mesmo material e um vídeo também foram enviados a todos os motoristas homens.

As equipes da "CLAUDIA" estão promovendo palestras sobre o assunto, ao vivo, para parceiros da "Uber" em São Paulo, Rio de Janeiro e Recife. O projeto conta com o apoio da ONU Mulheres, entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres.

Clique aqui para ver a versão digital da cartilha e o vídeo e aqui para saber mais sobre a campanha.

  • Andar pelas ruas e ouvir um comentário obsceno sobre o seu corpo é um elogio? Ouvir uma cantada no ambiente de trabalho é algo natural? A resposta para todas essas perguntas é NÃO. Tudo isso é assédio sexual. Veja aqui como denunciar.