Últimos posts

Veja Mais

O usuário e/ou senha digitados estão incorretos.

Como se tornar uma fábrica de ideias e se destacar no trabalho

Há algumas fórmulas que ajudam a desenvolver o potencial criativo de qualquer profissional e torná-lo em uma peça importante dentro da empresa.

10/04/2017 10:07 | Atualizado: 13/04/2017 10:13

por Publieditorial

Dificilmente alguém nunca tenha passado por um processo de bloqueio criativo. São tantas tarefas no dia a dia, tantas cobranças, tantas reuniões que, no meio desse turbilhão de coisas, aquele insight fica até meio receoso de dar às caras. E como fica quando a empresa exige do profissional soluções e ideias inovadoras?

Contrariando o que muitos insistem em acreditar, Steven Johnson, autor do best-seller “De onde vêm as boas ideias”, defende que lampejos criativos e inovadores não são fruto de momentos de inspiração individual, mas sim resultantes da troca de ideias. “É por isso que os cafés durante o Iluminismo e os salões parisienses do Modernismo eram motores de criatividade, pois eles criavam um espaço onde as ideias pudessem se misturar, se combinar e gerar novas formas”, afirma o escritor.

Créditos: themacx/ictosk

A criatividade é uma das competências essenciais na carreira de qualquer profissional

Baseados no estudo de Steven Johnson, listamos aqui algumas fórmulas que podem te ajudar a desenvolver o potencial criativo e fazer o momento Eureka vir à tona. Confira:

Meditação

Quanto mais relaxamos nossa consciência e entramos em um estado contemplativo, mais estimulamos a criatividade. Isso porque, durante a meditação, a mente precisa controlar o turbilhão de pensamentos desafiando-se a não pensar em nada, algo que é muito difícil para ela. Nesse processo, tentando se desvencilhar do estado meditativo e voltar ao natural, a nossa consciência começa a negociar criando recompensas para barrar aquele estado. É como se ela dissesse: "eu te dou uma grande ideia e você para de meditar agora".

Já percebeu que quando você esquece algo, quanto mais esforço você faz para lembrar, mais tempo leva para se lembrar. No entanto, é só desligar-se daquilo para uma pista surgir de repente. Assim é a mente, quanto menos esforço ela fizer, mas ideias podem surgir.

Compartilhar ideias

Ideias solitárias costumam não funcionar tão bem. Segundo Steven Johnson, boas ideias surgem da colisão de palpites. Pegar emprestado comentários e sugestões de outros e combinar com nossas próprias ideias resulta em algo maior. “Isso tem sido mais do que tudo, o motor primordial da criatividade e da inovação nos últimos 600 ou 700 anos”, comenta o escritor. Para reforçar essa tese, ele cita a invenção da lâmpada que levou mais de 20 anos para ser desenvolvida e envolveu diferentes pessoas.

Se entregar à leitura

A leitura pode ser uma ótima opção para entrar em um estado mais profundo, pois ela exercita a mente, aumenta a concentração, estimula a imaginação e cria ferramentas para novas ideias. Além disso, toda informação lida é absorvida como conhecimento que pode servir ao profissional a qualquer momento.

Ter hobbies

Dificilmente aquele funcionário que fica o tempo inteiro dentro do escritório, cercado de paredes brancas por todos os lados terá boas sacadas. É preciso espairecer, buscar inspirações fora do ambiente de trabalho. Estudos já comprovaram que pessoas envolvidas em atividades criativas que lhes agradam tendem a ser mais resolutivas e inspiradas no trabalho. Isso porque assistir a um filme, ver uma obra de arte, fazer uma aula de música abre novos ângulos da nossa visão.

Veja também

10 filmes para quem está começando uma carreira profissional

Pesquisa revela sobre a Carreira dos Sonhos dos profissionais

5 perfis de brasileiros no LinkedIn para você seguir

7 gafes mais comuns durante uma entrevista de emprego

10 cursos on-line para impulsionar sua carreira sem custo

8 dicas para escrever bem seus e-mails corporativos