Créditos: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil/Fotos Públicas

O deputado federal Jair Bolsonaro

O deputado federal Jair Bolsonaro não está apenas envolvido com racismo e machismo, mas também com propina, segundo revelam dados divulgados na última semana e, inclusive, uma entrevista dele.

O político “mais repulsivo do mundo” segundo este site internacional falou à rádio Jovem Pan sobre R$ 200 mil que recebeu durante a campanha eleitoral de 2014.

A prestação de contas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostra que Bolsonaro recebeu a quantia da JBS. Ele teria encaminhado o valor como doação ao PP, seu partido na época.

Acontece que o PP depositou a mesma quantia, R$ 200 mil, na conta de Jair Bolsonaro.

“Começaram as eleições de 2014. Me liga o presidente do meu partido [naquele momento, Ciro Nogueira] e diz que vai botar R$ 300 mil na minha conta. Disse que tudo bem, mas que colocasse R$ 200 mil na minha conta e R$ 100 mil na do meu filho. Quando vi o nome da Friboi, perguntei se queriam estornar. Falei que ia para a Câmara dos Deputados, ia jogar R$ 200 mil e dizer que é dinheiro do povo, porque foi dinheiro que pegaram do PT para se coligar com o meu partido”.

Na mesma entrevista, Bolsonaro diz que devolveu o dinheiro da Friboi e que o dinheiro que entrou em sua conta foi do fundo partidário. “A Friboi não colocou nada na minha conta, foi o partido”.

O deputado insistiu que devolveu os R$ 200 mil ao PP e que outro valor igual foi depositado em sua conta, mas desta vez vindo do fundo partidário. “Eu aceito do fundo partidário”, afirmou à rádio.

Questionado se o PP cometeu uma ilegalidade ao repassar dinheiro da JBS para sua campanha, Bolsonaro disse: “você queria que fizesse o que naquela época?”.

“Partido recebeu propina sim, mas qual partido não recebe propina?”, afirmou, com firmeza.

Confira:

  • Leia mais:

Assista a outras declarações absurdas de Bolsonaro