Créditos: Divulgação / PF e José Cruz/EBC

O ex-ministro cumpria prisão domiciliar em Salvador

O ex-ministro Geddel Vieira Lima foi preso novamente na manhã desta sexta-feira, dia 8, em Salvador (BA), após a Polícia Federal encontrar mais de R$ 51 milhões em um apartamento supostamente utilizado pelo peemedebista.

Por volta das 7h, duas viaturas da PF estiveram no condomínio residencial onde o ex-ministro cumpria prisão domiciliar, no bairro da Barra, capital baiana. Geddel foi encaminhado para o Aeroporto de Salvador, de onde viaja a Brasília e ficará à disposição da Justiça.

O Ministério Público Federal (MPF) participa da força-tarefa Greenfield, que cumpre dois mandados de prisão preventiva e três de busca e apreensão. Os mandados fazem parte de mais uma fase da Operação Cui Bono, que investiga desvios de recursos em vice-presidências na Caixa Econômica Federal.

Na petição enviada à Justiça sobre a prisão de Geddel, o MPF endossou os pedidos apresentados pela Polícia Federal, afirmando que as medidas são necessárias para evitar "a destruição de elementos de provas imprescindíveis à elucidação dos fatos".

O juiz federal Wallisney Oliveira, da 10ª Vara Federal em Brasília, autorizou o cumprimento dos mandados para recolher provas de crimes como corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Na última terça-feira, dia 5, a Polícia Federal apreendeu malas e caixas de dinheiro em um apartamento na Graça, em Salvador. Em depoimento, o proprietário do imóvel, Sílvio Silveira, disse que emprestou o imóvel ao ex-ministro.

  • Leia mais:

'O Globo' é acusado de manipulação com Lula e dinheiro de Geddel