Economia é um dos principais motivos que levam motoristas a optar pela instalação do kit de GNV em seus automóveis.

A opção, no entanto, faz surgir vários mitos. Quem nunca ouvir dizer que o GNV prejudica a vida útil do veículo ou que causa perda de potência do motor? Essas e outras questões são fruto da falta de conhecimento sobre o assunto.  Para que não restem dúvidas, em parceria com a Gas Natural Fenosa, reunimos os principais mitos e esclarecemos cada um deles.

Confira:

Mito 1 - “As conversões a GNV afetam o desempenho do veículo”:

O desempenho de um veículo a gás veicular depende da qualidade de cada uma das partes do processo de instalação: a capacidade técnica da oficina instaladora, técnicos da oficina, a tecnologia do Kit GNV adequada ao veículo, a qualidade dos componentes instalados e o serviço pós venda oferecido. Por isso, uma conversão por si mesma não afeta o desempenho de um veículo e, sim, a qualidade da conversão realizada. Além disso, o GNV - por ter uma queima mais limpa - mantém as partes vitais do motor livre de resíduos, o que pode gerar um maior período entre as manutenções.

Mito 2 - “Os veículos com GNV perdem potência”:

Créditos: MarioGuti/istock

Perda de potência é um dos principais mitos

Atualmente estão disponíveis no mercado equipamentos modernos para a conversão dos veículos, que com seu desenvolvimento tecnológico minimizam a perda de potência ao ponto de ser quase imperceptível para o motorista.  Pode-se comparar com mesma perda gerada pelo uso do ar acondicionado.

Mito 3 - “Meu veículo já tem etanol, já economizo”:

Na verdade, o rendimento do GNV é maior que o do etanol. Hoje, trabalha-se com a referência de 7km/etanol e 14km/GNV. Ou seja, apesar dos preços de bomba muitas vezes estarem simulares entre os dois combustíveis, o GNV é ainda mais econômico. Esta é a realidade mais perceptível para a região de São Paulo. No Estado do Rio de Janeiro, ainda há o desconto de 62,5% sobre IPVA, ficando ainda fácil a identificação da economia gerada com o GNV.

Mito 4 -“Não existe oferta de veículos com GNV vindo de fábrica”:

A Fiat produz o modelo Siena Tetrafuel que já vem de fábrica com o kit GNV instalado. Além disso, algumas concessionárias asseguram a garantia do veículo quando a conversão é gerenciada pelos proprietários em convertedoras parceiras.

Mito 5 - “Não há estações de gás suficientes para atender a demanda dos veículos”:

No início da comercialização do GNV, de fato, formavam-se filas para abastecimento, pois não havia tantos postos GNV. No entanto, no decorrer dos anos muito se investiu e hoje são mais de 550 postos nos Estados do RJ e de SP. Podemos afirmar então que não é mais real a ideia de filas para abastecimento.

Mito 6 - “Vou perder espaço no porta-malas do meu carro”:

O suporte para cilindro pode ser instalado no porta-malas, caçamba (pick-up) ou por baixo do carro. Os três processos de fixação devem estar em conformidade com a Norma Brasileira NBR 11353-5.

Mito 7 - “O GNV não é seguro”

O GNV segue rígidos processos de segurança, passando por duas vistorias anuais e um teste de cilindro a cada cinco anos. Além disso, o GNV se dissipa no ar.

Vale ainda destacar que o GNV compensa não apenas pelo menor preço, sua queima é reconhecidamente uma das mais limpas, praticamente sem emissão de monóxido de carbono. É, portanto, uma alternativa que ajuda a melhorar a qualidade do ar de nossas cidades e, consequentemente, a qualidade de vida.