Um dos locais mais utilizados da casa é também onde mais se acumula germes e bactérias. A umidade e a falta de ventilação, típicas de muitos banheiros, favorecem mais a proliferação de micro-organismos que podem prejudicar nossa saúde. Por isso, além de limpeza constante, é preciso atenção a alguns hábitos, que embora comuns, podem ser perigosos.

O site Minha Vida, parceiro do Catraca Livre, listou uma série de hábitos que a maioria das pessoas têm nesse ambiente, mas não deveria:

1. Dar descarga com a tampa da privada aberta

Ao acionar a descarga, micro gotículas de um líquido muito duvidoso podem ser espalhadas pelo banheiro e pela sua própria roupa. "Isso é prejudicial, porque esse conteúdo carrega bactérias intestinais, que se espalham e se depositam no ambiente e em tudo o que estiver por perto. Por isso, sempre dê descarga com a tampa fechada", conta a alergologista Rosaly Vieira, da Clínica Otorrinos Curitiba.

2. Compartilhar a toalha de rosto

Aquela simples toalha de rosto pode ser um verdadeiro depósito de bactérias, sabia? "Cada um tem suas próprias bactérias e, com o compartilhamento da toalha entre várias pessoas da casa, maior é a chance de transmissão de microoganismo", afirma a alergologista.

De acordo com o infectologista Jean Gorinchteyn, da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, essas toalhas podem ser potenciais vetores de fungos. "Uma vez que ficam muito umedecidas, elas podem ficar emboloradas e desenvolverem alguma condição fúngica", conta ele. A alternativa seria usar toalhas de papel, igual nos banheiros públicos, porém, nem sempre essa opção é viável, então certifique-se de trocar a toalha de rosto diariamente, ok? E se alguém da casa estiver com uma infecção ou imunidade baixa, deverá usar uma toalha própria.

3. Dividir o sabonete em barra com outras pessoas da casa

Este item importantíssimo de higiene íntima pode ser tornar um verdadeiro vilão no seu banheiro. "Quanto mais tempo o sabonete em barra ficar úmido no box, maior é a chance de ele se tornar um meio para a cultura de fungos e bactérias", explica Rosaly.

Pessoas com algum tipo de herpes genital também precisam cuidar para garantir o uso de um sabonete próprio, pois esse item pode servir como meio de transmissão do problema. "Nas casas, como as pessoas tomam banho em horário próximos, geralmente o sabonete é usado imediatamente banho após banho e, quanto menor for esse tempo entre um uso e outro, maior o risco de contaminação", diz o infectologista.

A melhor opção é o sabonete líquido para banho e, se não tiver jeito de fugir do sabonete em barra, garanta que cada pessoa da casa tenha o seu próprio e que ele fique em um lugar que possa escorrer e secar bem.

4. Deixar roupa íntima secando no banheiro

Muita gente já lavou alguma peça íntima durante o próprio banho. "Lavar no banheiro não é nenhum problema, desde que seja com um sabão separado só para isso, como sabão neutro, de coco ou próprio para peças íntimas", conta Rosaly. O grande ponto de atenção nesse hábito é a hora da secagem da roupa. "Deixar secando no banheiro não é adequado, porque esse espaço é muito úmido, abrigando mais fungos e bactérias", alerta a alergologista. Então, não deixe de pendurar as roupas em um ambiente bem arejado e seco.

Continue lendo a matéria completa aqui.