Heliópolis tem sido nos últimos anos um laboratório de tecnologias sociais. Lá se desenvolve o projeto de bairro-educador, uma orquestra sinfônica, as intervenções urbanísticas inovadoras do arquiteto Rui Ohtake, o programa de jovens comunicadores contra o abuso de álcool. Será que ali, na maior favela de São Paulo, estão criando um modelo de atendimento médico capaz de ser economicamente sustentável e replicável?

Essa é a pergunta que ronda a clínica particular chamada Dr Consulta, onde as consultas giram de R$ 40 a R$ 60. É para quem não quer aguentar as filas do SUS e não tem um plano de saúde privado.

O que chama atenção, porém, é que os médicos de lá trabalham também nos melhores hospitais paulistanos, são formados em boas faculdades e sentem-se bem remunerados. Afinal, esse é o valor que ganhariam de um plano de saúde. Leia a coluna na íntegra