Uma matéria publicada no portal do jornal britânico The Independent na última sexta-feira, 29, afirmou que Hugh Hefner, fundador da revista Playboy morto na quarta, 28, aos 91 anos de causas naturais, estava surdo por tomar muito Viagra. O remédio é indicado para tratar a impotência.

Créditos: Luke Ford/Wikimedia Commons

Segundo presidente da SBU, Hugh Hefner não ficou surdo por causa do Viagra

As irmãs gêmeas Karissa e Kristina Shannon, namoradas de Hefner, já haviam declarado ao tabloide The Sun no ano passado que o empresário estava completamente surdo de um dos ouvidos. “Temos que falar perto do ouvido bom para que ele nos entenda”, disse Karissa.

Na época, a gêmea afirmou que ele disse não ter arrependimentos, e que preferia continuar a ter relações sexuais do que voltar a ouvir como antes.

A publicação britânica ainda mencionou um estudo de 2011 que relacionou casos raros de perda de audição com o uso de Viagra.

Contraponto o estudo, Flávio Trigo, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia de São Paulo procurado pelo Catraca Livre, descartou uma relação entre o consumo desse tipo de medicamento e casos de surdez.

"Os remédios para a impotência foram inventados inicialmente para tratar a hipertensão. Logo notou-se que além de melhorar a pressão, melhoravam a ereção, e desde então, passaram a ser utilizados para esses fins", explicou. "Os medicamentos para hipertensão são muito seguros e não causam nenhum problema para o organismo", disse.

O urologista declarou que eles são contraindicados apenas para quem tem insuficiência coronariana, angina no peito e toma vaso dilatador para o problema.

"A dose recomendada é de 50 mg a 100 mg por dia. Claro que quem tomar doses maiores estará exposto a efeitos colaterais. Mas acredito que não é o caso do dono da Playboy. Segundo estudos, a incidência de problemas de audição é igual tanto para quem toma remédio para impotência quanto para a população em geral. E ele tinha 91 anos", lembrou.

Trigo ainda afirmou que os interessados em usar o medicamento devem procurar um médico e alertou sobre o consumo entre jovens: "Eles não têm indicação ou necessidade, mas acabam tomando para ter uma super performance. Quem não tem problemas de impotência pode acabar tendo outros, como ereções muito prolongadas que podem provocar lesões no tecido peniano. Ereção é uma coisa boa, mas ela também tem tempo para terminar."

4 regras básicas para cuidar da sua saúde sexual da forma correta