Em meio à proliferação de casos de febre amarela em algumas regiões do país, a Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo fez um alerta sobre a campanha de vacinação fracionada, que tem início em fevereiro.

Para receber o atendimento, pessoas com mais de 60 anos precisarão passar por uma triagem antes da imunização, em casos de contraindicação da vacina.

Istock/Getty Images

Créditos: Istock/Getty Images

A meta é imunizar 6,5 milhões de pessoas(2,5 milhões só na cidade de São Paulo).

Em entrevista ao G1, a coordenadora de imunização, Maria Lígia Nerger falou sobre o assunto.“É necessário fazer um questionamento, uma triagem em relação as contraindicações da vacina. Então, qualquer pessoa que chegar na unidade, independente dela ter 60 anos ou mais, ela deverá passar por uma triagem para saber se tem alguma contraindicação da vacina, ou seja, saber principalmente se tem alguma doença que deprima o sistema imunológico ou que esteja tomando alguma medicação de deprima o sistema imunológico”.

Os casos de contraindicação são para as pessoas que fazem tratamento contra o câncer, tem lúpus, artrite reumatoide.

Com novos casos e mortes, no entanto, o imunizante será distribuídoem novos municípios; a meta é imunizar 6,5 milhões de pessoas – 2,5 milhões só na cidade de São Paulo.

Veja também:

SP, RJ e BA adotarão vacina fracionada contra febre amarela