Estudos em laboratório testam a eficácia de um remédio criado para combater resfriados. A medicação tem como alvo o hospedeiro infectado e não o vírus em si. Isso tem uma explicação. É que o resfriado comum é causado por uma família de vírus com centenas de variantes, tornando quase impossível tornar-se imune ou vacinar contra todos eles. Além disso, os vírus evoluem rapidamente, o que significa que eles podem rapidamente ganhar resistência a drogas.

Por essas razões, a maioria dos remédios para resfriado se baseia no tratamento dos sintomas da infecção - como nariz escorrendo, dor de garganta e febre - ao invés de combater o próprio vírus.

Créditos: vladans/istock

Remédio combate o vírus e não apenas os sintomas

Selo Facilite

Os cientistas do Imperial College, em Londres, estão confiantes com o novo tratamento, pois ao utilizarem a substância em células pulmonares, eles observaram efeito em minutos. A droga foi capaz de bloquear uma enzima que faz com que o vírus se reproduza. A previsão para o início dos testes em humanos é de cerca de dois anos.

A ideia do estudo é utilizar esse tratamento logo que a pessoa apresentar sinais de resfriado. Os cientistas acreditam que assim impediria o vírus de se replicar e se espalhar, minando a força do resfriado.

"O resfriado comum é um inconveniente para a maioria de nós, mas pode causar sérias complicações em pessoas com condições como asma e fibrose cística, por exemplo", disse o pesquisador-chefe, Ed Tate, do Departamento de Química do Imperial College.

Os cientistas estão agora trabalhando para fazer uma versão que possa ser inalada, para que chegue aos pulmões rapidamente, sem efeitos colaterais.

Leia também:

Melanoma: os principais sinais na pele que indicam a doença