Gabriela Pugliesi pode ter tido a melhor das intenções. Mas se a internet percebe que tem qualquer coisa errada, ela não se cala.

Nesta segunda-feira, 12 de junho, a musa fitness publicou uma foto em sua conta oficial do Instagram em que aparece com um adesivo no braço, buscando incentivar as pessoas a doarem sangue.

Na publicação, ela falou sobre a importância do gesto. "Eu que me preocupo super com a saúde te digo que doar sangue não faz mal. Pelo contrario! E Esse adesivo busca incentivar as pessoas a doarem sangue regularmente independente de conhecerem ou não quem está precisando", escreveu Pugliesi.

Logo em seguida, o Ministério da Saúde republicou a imagem da blogueira. "Você sabia que a cada doação de sangue você ajuda a salvar a vida de até 4 pessoas? A @gabrielapugliesi é parceira do @minsaude e apoia a doação de sangue", disse o órgão por meio das redes sociais.

Porém, Gabriela não fez sua doação, de fato, apesar da imagem sugerir que sim. Ela foi alertada de que não poderia pelos próprios seguidores, que lembraram que ela fez uma tatuagem na mão no começo do ano. Com isso, conforme as regras do país, ela só poderá doar depois de 12 meses do procedimento, ou seja, em janeiro de 2018.

Foi o que ela explicou, após vários vídeos em suas redes sociais, mas a polêmica já estava instaurada, com diversas críticas ao fato de ela ir para o local da doação, mesmo sem poder doar sangue.

Em vídeos no Instagram, a modelo tentou se explicar desde antes de chegar no posto de coleta. "Vou até lá na clínica de doação. Minha tatuagem vai fazer sete meses. Vou até lá tirar as minhas dúvidas. Fiquei empolgada com a possibilidade de doar sangue. Muita gente começou a me mandar mensagem com muitas regras. Achei que tinha feito há mais tempo. Imagino que não sou só eu que tenha tantas dúvidas", disse ela.