O primeiro medicamento à base de cannabis sativa aprovado no Brasil tem previsão de chegar às farmácias em março deste ano. Cada caixa do remédio custará em média R$ 2.500, sendo que o valor máximo não deverá passar de R$ 2.837,40. O medicamento – aprovado há pouco mais de um ano pela Anvisa - é usado no tratamento de pessoas com esclerose múltipla.

Chamado no país de Mevatyl e já utilizado em outros 28 países, o medicamento trata rigidez em determinadas partes do corpo, principalmente nas pernas e é contraindicado para gestantes, idosos, portadores de epilepsia ou usuários de maconha.

De acordo com a nota técnica do registro, a eficácia do medicamento foi testada em estudos clínicos com mais de 1,5 mil pacientes. No Brasil, o Mevatyl será comercializado com tarja preta e somente com prescrição médica.

Esclerose Múltipla

A esclerose é um mal silencioso, que acomete o cérebro e a medula espinhal, causando dores articulares, disfunção intestinal e danos na visão, fala, audição e movimentos do corpo todo.

Um dos sintomas mais comuns é a espasticidade – rigidez de uma parte do corpo, que afeta principalmente as pernas, e a incapacidade do paciente de relaxar esta parte de forma voluntária.

O problema atinge 2,3 milhões de pessoas em todo o mundo, segundo dados da OMS, sendo 35 mil delas no Brasil, estima a ABEM.

Veja também:

Ana Beatriz Nogueira revela que sofre de esclerose múltipla