Sysan Schneider Williams, viúva do ator Robin Williams, que se suicidou em 2014, escreveu um relato sobre o último ano de vida do marido.

O ator sofria de demência com corpos de Lewy (DCL), um termo usado para descrever tanto o mal de Parkinson quanto a demência com corpos de Lewy.

Em uma carta dirigida a neurologistas no fim de setembro, ela explica que, já no final de 2013, Robin estava indo ao médico para tratar sintomas físicos como o tremor de sua mão esquerda e queimação no estômago. Em dezembro daquele mesmo ano, Robin começou a apresentar outros problemas como delírios, memória falha, insônia e paranoia.

O ator Robin Williams

Créditos: Reprodução / Wikipédia

O ator Robin Williams

No começo de 2014, durante a gravação do filme "Uma Noite no Museu 3  O Segredo da Tumba"o ator teve um ataque de pânico. Alguns meses depois, ele foi diagnosticado com o mal de Parkinson. "Só quero 'reiniciar' meu cérebro", disse o ator em uma ocasião. "Eu tenho Alzheimer? Demência? Sou esquizofrênico?".

Na metade do ano, o ator começou a se concentrar em lidar com seus sintomas, fazendo meditação, ioga e auto-hipnose. Em agosto, quando apresentava sinais de melhora, um assistente encontrou o corpo do ator em sua casa. Ele havia se suicidado. Leia a reportagem na íntegra aqui.