Créditos: wikimedia commons

Espermatozoides considerados normais possuem calda longa e cabeça oval, não muito grande

A exposição contínua a poluentes no ar, como partículas finas de matéria (PM2.5), pode deteriorar a qualidade dos espermatozoides. É o que aponta um artigo divulgado na publicação Occupational & Environmental Medicine.

O estudo que foi realizado por pesquisadores das Universidades de Hong Kong e Utrecht, na Holanda, teve a contribuição ainda de cientistas de Taiwan e Xangai.

Feita em Taiwan, a pesquisa avaliou 6.476 homens, entre 15 e 49 anos, durante os anos de 2001 e 2014. Os espermatozoides dos participantes foram analisados, levando em conta concentração, motilidade e morfologia.

Veja o resultado da pesquisa aqui, na íntegra da reportagem.

  • Veja também:

Poluição do ar atinge 80% da população mundial, diz OMS

Rede Catraca Livre

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário da Rede Catraca.

O Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.