Não são nem 6h da manhã, e Ricardo já está a mil. Dá bom dia aos mais de 3.500 seguidores, se certifica de que tudo "opera normalmente", para, em seguida, acrescentar que surgiu um problema.

Digita do celular, dentro de um trem que o leva de Francisco Morato (Grande SP), onde vive, até a estação Barra Funda (zona oeste). Minutos depois, antes de embarcar na Vila Matilde (zona leste), Adilson inicia jornada semelhante, com cerca de 200 informes diários (3.000 em dias turbulentos). A missão que Ricardo Guimarães, 22, e Adilson Silva, 32, abraçaram é a mesma: divulgar, a cada instante, as condições das linhas de trem e metrô paulistanas. Tudo pelo Twitter.

Eles passam o dia on-line. Atualizam seus perfis com base em informações de outros passageiros, observadas por eles próprios ou colhidas oficialmente com as companhias. Esse trabalho é feito, inclusive, em fins de semana e feriados. Detalhe: eles não recebem nada por isso.

Ricardo começou com o blog "Diário da CPTM", que, em dois anos, já recebeu mais de 1 milhão de visitas. Há seis meses, criou o @DiariodaCPTM no Twitter. "O problema da CPTM é a falta de informação", critica Ricardo. "Eles fazem uma obra e não avisam, ou só em cima da hora. As pessoas me procuram para se informar, e me sinto satisfeito por isso."

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.