Recentemente, alunos da Universidade Presbiteriana Mackenzie resolveram se mobilizar contra a implantação de catracas dentro do campus Higienópolis. A marcha aconteceu nesta segunda-feira, 28, (leia mais aqui) e tinha por objetivo ir de encontro ao projeto que  impossibilitaria o acesso público à instituição.

De uma lado, o argumento de propor maior segurança aos transeuntes do campus. Do outro, a limitação da locomoção por parte dos alunos e a eliminação da entrada livre a uma das poucas universidades que permitem o acesso público ao espaço que é privado.

O estudante de arquitetura Miguel Angelo, que integrante da diretoria do DAFAM (Diretório Acadêmico da Faculdade de Arquitetura Mackenzie), sintetizou o posicionamento do grupo em um documento no qual levanta dados sobre a proposta da faculdade e os impactos que a mesma pode causar no campus. Leia na íntegra: