A primeira experiência do Redação-Escola foi feita com Flávio De Marchi Cano, aluno primeiro ano do ensino médio do Colégio Bandeirantes, e apaixonado por música, principalmente a medieval. No Orkut, sua auto-descrição é uma clave de fá (linguagem musical), o que revela seu amor pela música. Já suas comunidades mostram que as paixões vão além das melodias, ele também gosta de avião, carro, astronomia e fotografia. Depois de um bate-papo que foi desde corridas de kart até o futuro da música no Brasil, escolhi por destacar nesta matéria a relação entre todos os hobbies de Flávio e como a internet está se tornando o principal meio de pesquisa e divulgação de sua música.

O primeiro hobby do Flávio foi o desenho. Só depois apareceu a música, o que de certa forma o influenciou no interesse pelas outras atividades. Afinal, a ligação entre esses passatempos também pode ser explicada pelo fato de muitos de seus hobbies produzir algum tipo de som, como é o caso dos carros e dos aviões. “Alguns dos meus hobbies eu diria que são tipos de arte e eu gosto bastante de arte”, diz.

Na internet
Atualmente, no meio virtual é possível conhecer novos estilos musicais de bandas de diversas partes do planeta, descobrir instrumentos e até aprender a tocá-los. Através da internet, Flávio aprendeu a tocar baixo, violão, guitarra, Tin Whistle (um tipo de flauta irlandesa), piano, gaita, a cantar e a gravar suas próprias músicas - em parte também se deu por meio do conhecimento musical prévio, adquirido nas aulas de baixo, que foi seu primeiro instrumento.

O entrevistado costuma acessar páginas que disponibilizam tablaturas, partituras, cifras letras e músicas gratuitamente, como o www.cifraclub.terra.com.br e www.vagalume.uol.com.br . Para ele, a música e a internet devem continuar caminhando juntas, com desenvolvimento de sites para a divulgação de novos materiais, facilitando o combate à pirataria. “Baixar música na internet eu não acho legal, mas acho legal ouvir. Acho que o artista deveria colocar algumas de suas músicas na internet para as pessoas conhecerem seu trabalho”, fala.

Várias bandas, como o Arctic Monkeys, começaram a disponibilizar seu trabalho em seu sites antes de lançarem oficialmente seus discos e obtiveram uma grande aceitação do público. Isso mostra que colocar as músicas na web é bom tanto para o artista quanto para o público.

Matéria escrita por Caio Dib, aluno do 3º ano do ensino médio do Colégio Bandeirantes - [email protected]