Duas experiências ligadas a imagem foram desenvolvidas esse ano dentro da escola estadual Carlos Maximiliano, mais conhecida como Max.  A primeira foi feita por um único jovem, Victor Dragonetti , o Drago, estudante de colégio particular e rotulado como “aluno problema”, ele foi convidado a fazer profissionalmente um ensaio sobre os alunos do Max.

DragoAlunos da escola Max

Créditos: Alunos da escola Max

Alunos da escola Max

Por várias semanas, ele fotografou diariamente na escola. Procurou cenas em que os alunos mostrassem os olhos brilhando -e não as previsíveis imagens sombrias da educação pública. À medida que as fotos eram reveladas e aparecia o brilho nos olhos dos alunos, decidiu-se que todo aquele material deveria virar uma exposição, que transformasse as paredes do Max numa galeria. Drago tirou o nome para sua exposição da raiz latina da palavra "aluno", que significa "sem luz". "Foram os dias de mais luz da minha vida." Por sorte, captados em sua máquina. Veja as fotos.

A produtora Na Laje também resolveu se integrar ao cotidiano do Max. Selecionou estudantes da própria escola e gravou o vídeo “A Bolacha Desejada”.

Assista ao vídeo

[youtube]http://br.youtube.com/watch?v=qHsu55d-jWE[/youtube]