Atriz e cantora Jane di Castro é enterrada em cemitério no Rio

Juntamente com Rogéria, a artista fez parte de uma geração que abriu o caminho para muitas mulheres transexuais e travestis no entretenimento

Por: Redação
Ouça este conteúdo

A atriz e cantora, Jane di Castro, morreu aos 73 anos, na última sexta-feira, 23, em decorrência de um câncer. O corpo da artista da vanguarda foi enterrado no cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona Oeste do Rio, neste último sábado, 24.

Atriz e cantora Jane di Castro é enterrada em cemitério no Rio
Crédito: Reprodução/JORGE HELY/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDOAtriz e cantora Jane di Castro é enterrada em cemitério no Rio

Carreira

Ao lado da amiga Rogéria e outras artistas LGBTQIA+, Jane fez parte de uma geração que abriu o caminho para muitas mulheres transexuais e travestis no entretenimento. Di Castro era respeitada pelo público e pela crítica.

A carioca começou a vida como cabeleireira, mas não demorou muito para que ganhasse notoriedade nos palcos, juntamente com Bibi Ferreira e Ney Latorraca.

Jane Di Castro participou da novela "Força do Querer" da Rede Globo
Crédito: Reprodução/InstagramJane Di Castro participou da novela “Força do Querer” da Rede Globo

O último trabalho de grande expressão de Jane foi a novela das 9, “Força do Querer” da Rede Globo. Ainda em outubro, ela tinha feito uma postagem nas redes falando que amou fazer parte do elenco da atração e agradeceu a autora, Gloria Perez, pela oportunidade.

Jane também participou do premiado documentário Divinas Divas, com direção de Leandra Leal. Em entrevista ao Programa do Bial em 2017, Leandra ressaltou a excelência do trabalho de Jane e sua amiga, Rogéria.

Jane foi uma das percussoras de artistas LGBTQIA+ no Brasil
Crédito: Reprodução/InstagramJane foi uma das percussoras de artistas LGBTQIA+ no Brasil

Na última sexta-feira, Leal publicou nas redes sociais um homenagem a Jane e sua contribuição para arte brasileira.

” Minha amada Jane di Castro era maravilhosa, cantora, atriz, produtora, síndica, talentosa, disciplinada, teimosa e cheia de vida. Ela viveu a altura do seu sonho, o que exige coragem e força. Ela batalhou: saiu de casa em Oswaldo Cruz e foi ser estrela na Praça Tiradentes, depois no Rival, em Paris, Luxemburgo, NY, Copacabana. Amou e foi amada como ela desejava, foi casada por mais de 50 anos com Otavio, que conheceu na plateia de um espetáculo que ela protagonizava no Rival. Grandes momentos da sua vida e da sua carreira aconteceram lá”, disse.

Compartilhe: