Últimas notícias:

Loading...

Calor em praia do Canadá cozinha mariscos e mexilhões vivos

Mariscos, mexilhões e outros moluscos foram literalmente cozidos pelas altas temperaturas no hemisfério Norte

Por: Redação

A onda de calor que chegou ao Canadá no início do verão do hemisfério Norte e deixou centenas de mortos, literalmente cozinhou mariscos, mexilhões e outros moluscos vivos em uma praia em Vancouver. Pesquisadores estimam que um bilhão de espécimes sucumbiram devido às altas temperaturas.

Crédito: Https://www.maxpixel.net/Skyline-Canada-British-Columbia-Vancouver-Mountains-4585887British Columbia costumava ser um lugar

O professor Christopher Harley, do departamento de zoologia da Universidade de British Columbia, registrou temperaturas de superfície que ultrapassaram 51°C. Ele relatou o odor forte dos animais apodrecidos.

“É uma catástrofe”, disse o especialista em entrevista à CNN norte-americana. Cientistas classificaram a onda de calor como “sem precedentes”.

Um pescador local relatou que perdeu 30% a 40% da produção de ostras e mariscos por causa do calor intenso.

Crédito: Reprodução/Redes SociaisCalor no Canadá cozinha moluscos em praia

No fim de junho, segundo autoridades canadenses, a temperatura chegou a 49,5º C na cidade de Lytton, que fica a 250 km ao leste de Vancouver, batendo o recorde de maior temperatura já registrada no Canadá. A marca é quase 5°C acima do recorde histórico de calor no Brasil, que é 44,7°C.

Vancouver, localizada na costa do Pacífico, há vários dias registra temperaturas acima de 30º C, muito superiores aos 21 graus registrados em média nesta época.

Crédito: Reprodução/Redes SociaisCalor no Canadá cozinha moluscos em praia

Além do Canadá, nos Estados Unidos as altas temperaturas afetaram Portland (no estado do Oregon) e Seattle (Washington). Conhecidas por seu clima ameno e úmido, as cidades registraram as maiores temperaturas desde o início dos registros, em 1940.

Na tarde de segunda-feira, 28, os termômetros atingiram 46,1ºC no aeroporto de Portland e 41,6ºC no de Seattle, segundo o Serviço Nacional de Meteorologia dos EUA (NWS, na sigla em inglês).

Compartilhe: