Morador de rua que catava lixo ganha emprego de garçom e vira modelo

Em duas semanas, a vida de Ricardo Lacerda, de 31 anos, sofreu reviravoltas

Por: Redação Comunicar erro

Há duas semanas o paulistano Ricardo Lacerda, 31 anos, que mora na rua, viu sua vida se transformar após conhecer a chef Carey Evans.

Carey varria a calçada do seu restaurante o Canuck’s Poutinerie, na Vila Mariana, na capital paulista, quando foi surpreendida por Ricardo que tentava vender uma mochila que encontrou no lixo.

Crédito: Carey Evans/DivulgaçãoMorador de rua. Ricardo agora busca trabalho como modelo

Percebendo o sotaque da chef que é canadense, Ricardo conversou com Carey em inglês. Surpresa com a educação e o fato de o rapaz falar inglês, ela deu uma oportunidade: convidou Ricardo para trabalhar como garçom.

Depois de uma entrevista formal no dia seguinte, Ricardo foi contratado. “Decidimos dar uma oportunidade a ele”, conta Luana Desie, outra proprietária da Poutinerie, à revista Veja.

“Estava passando com material de reciclagem e ofereci algo que tinha encontrado, uma mochila. Ela não quis, mas disse que tinha um emprego. Fiquei muito feliz!”, lembra Ricardo.

A beleza de Ricardo também chamou atenção das donas do restaurante. Luana, então, tirou uma foto do jovem e postou no Facebook. “Se alguém precisar de modelo ou ator para comerciais, catálogo, etc, nosso garçom, Ricardo (morador de rua), está buscando oportunidades”, diz o post.

Se alguém precisar de modelo ou ator para comerciais, catálogo etc nosso garçon Ricardo (morador de rua) esta procurando por oportunidades 😊Interessados falar cmg 11976731417

Publicado por Luana Desie CL en Sábado, 10 de agosto de 2019

“Ele está procurando por oportunidades para crescer, e achamos que a beleza dele seria um diferencial”, afirma Luana.

A história

Ricardo morava com a família no bairro do Paraíso. Aos 19 anos saiu de casa por conta da relação conturbada com o pai e desde então perdeu o contato com os familiares.

Neste período cursou administração e trabalho de vender em algumas lojas.

Aos 21 anos foi pego com maconha e ficou preso por quatro anos. “Fui pego com maconha, mas era para consumo próprio”. Após ter a pena ser extinta pelo STF (Supremo Tribunal Federal), Ricardo foi morar na Irlanda.

Lá conheceu uma brasileira, com quem teve um a filha. “Ela escondeu de mim a gravidez por um tempo, e voltou para o Brasil”. Foi então que Ricardo decidiu voltar para o Brasil, aos 28, em busca da filha.

“Ela não me deixou ter contato com a menina e como não me registrou como pai, não tenho direito legal”, reclama. Foi aí que Ricardo entrou em depressão profunda. “Tive dificuldade de conseguir um trabalho”.

Compartilhe: