Zombie Boy, modelo de clipe da Lady Gaga, é encontrado morto

Fontes policiais afirmam que o artista canadense se suicidou

Por: Redação | Comunicar erro
Zombie Boy morreu
Crédito: reprodução/YoutubeZombie Boy, do clipe “Born This Way”, de Lady Gaga, é encontrado morto

Zombie Boy, o artista canadense que leva uma tatuagem de caveira no rosto e tem outros tantos rabiscos pelo corpo, foi encontrado morto. Segundo informações da cadeia pública Canadian Broadcasting Corporation (CBC), que cita fontes policiais, ele se suicidou aos 32 anos de idade.

O tatuado, cujo nome verdadeiro é Rick Genest, participou do clipe de “Born This Way”, de Lady Gaga, lançado em 2011. Pelo Twitter, a cantora pop se disse devastada, e ainda fez um apelo ao público.

“O suicídio do amigo Rick Genest, Zombie Boy, é o mais que devastador. Devemos fazer mais para mudar a cultura, para colocar em primeiro plano a saúde mental e suprimir a estigmatização de que não se pode falar disso. Se você está sofrendo, ligue hoje para um amigo ou para sua família. Temos que nos salvar”, escreveu Lady Gaga no Twitter.

https://twitter.com/ladygaga/status/1025171911138004992

Como forma de pesar, a agência de Zombie Boy, Dulcedo Management, o descreveu como “um ícone do cenário artístico e do mundo da moda”.

Com a fama pós-clipe, Zombie Boy tornou-se um nome influente da moda, com a ajuda não só de Lady Gaga, mas também do estilista francês Thierry Mugler.

PREVENÇÃO AO SUICÍDIO

Desde 1º de julho as ligações para o Centro de Valorização da Vida (CVV), que auxilia na prevenção de suicídio, passaram a ser gratuitas em todo o território nacional. O atendimento é feito pelo número 188 a partir de telefone fixo ou celular.

A gratuidade do serviço vem em meio a dados preocupantes. Por ano, cerca de 11 mil pessoas tiram a própria vida no país, de acordo com o primeiro boletim epidemiológico sobre suicídio divulgado no final do ano passado. Segundo o Ministério da Saúde, entre 2011 e 2015, o número de casos cresceu 12% e essa já é a quarta maior causa de morte de brasileiros entre 15 e 29 anos.

Proporcionalmente, no entanto, o problema atinge mais os idosos. A taxa entre pessoas com mais de 70 anos chega a 8,9 a cada 100 mil habitantes. Entre jovens de 20 a 29 anos, é de 6,8 casos a cada 100 mil habitantes.

Boa parte dessas mortes poderia ser evitada com ajuda. A psiquiatra Alexandrina Meleiro, do Instituto de Psiquiatria da USP, já atendeu diversas pessoas que desistiram de abreviar a própria vida depois de ligar para o 188. “A pessoa que está planejando pode repensar depois de ligar. Então, nessa hora a participação do CVV fazendo uma escuta sem julgamento, sem avaliação, sem crítica, tem tido um benefício enorme”, afirma.

Saiba mais informações sobre a prevenção ao suicídio aqui.

Compartilhe: