Conheça o lado b do bairro cercado de madames

Por: Publi

Nem tudo são flores no bairro Jardins, viu! Nós precisamos mostrar à você, as atividades que não agrupam o clichê: carrão, salto alto e casaco de pele. Parece inacreditável, mas dá pra gastar pouco e frequentar o bairro das casas “finas” e ruas de novela.

Se você infelizmente ainda vive no século passado, está desperdiçando um clima agradável do barzinho que fica na Melo Alves. O local atrai principalmente o público LGBT, que se diverte nas calçadas da Dida. Não é por nada, não, mas seu preconceito pode te fazer perder uma das melhores caipirinhas de sampa: uva-niágara e gengibre. Tá aí mais um motivo para quebrar padrões!

No Museu da Casa Brasileira a programação é extensa: música, debates, exposições, cursos, oficinas e ainda um restaurante tradicional. Desde 1999 os shows tem entrada Catraca Livre, sempre aos domingos, às 11h.

Museu da Casa Brasileira
Crédito: CatracaOs shows acontecem no terraço do MCB e reúne cerca de 400 espectadores todo domingo

Tradicional por suas exposições populares, o Museu da Imagem e do Som fica disponível pra quem gosta de conferir shows, cinema, feiras e cursos. Até novembro, você confere um pouco da vida de Frida Kahlo, através das fotos que detalham as memórias da pintora mexicana.

O Jardins também é ponto de encontro para pedaladas noturnas. Das 21h20 às 23h30, o grupo Bike N Beer, reúne a galera na rua Honduras, 1400. É preciso estar com a bicicleta revisada e levar os equipamentos de segurança como capacete, luzes dianteira e traseira, luvas e câmara reserva. O trajeto pode chegar varia entre 25 e 30 km.

Ciclistas do Bike N Beer
Crédito: CatracaOs passeios acontecem duas vezes por semana e são livres para qualquer público.

#TáNaSuasMãos quebrar os padrões e dizer #NãoAoRótulo, até mesmo quando o bairro é o Jardins!

Compartilhe: