Informar

Carros movidos a vento realizam competição anual na Europa

Por: Redação

Enquanto os bólidos da Fórmula 1 são grandes bebedores de gasolina, outros “velozes e furiosos” buscam ser rápidos como um vendaval deixando pegadas bem mais sustentáveis nas pistas por onde passam. Opa, alguém falou em energia eólica? Pois é justamente ela a responsável pelo zunido dos carros movidos a vento.

Eles são os protagonistas das corridas organizadas pela Chinook, uma equipe de estudantes de engenharia de Montreal que coloca os autos que desenvolve para “voarem” em estradas da Holanda.

O trabalho é árduo para projetar essas máquinas. Suas peças são testadas individualmente no Canadá, mas lá não há vento suficiente para pôr à prova o conjunto já montado.

O teste final da eficácia do auto só é realizado mesmo na Holanda, país em que o que não falta é brisa – que o digam os moinhos.

Essa hélice não é de nenhum moinho e sim dos carros movidos a vento da Chinook
Essa hélice não é de nenhum moinho e sim dos carros movidos a vento da Chinook

Para ajudar nos acertos necessários para o funcionamento das turbinas, os estudantes da Chinook – nome de um dos ventos que sopram nas Rocky Mountains, no Colorado (EUA) – usam ThinkPads, os notebooks da Lenovo, empresa que apoia a iniciativa.

O trabalho nos bastidores é fundamental para o bom desempenho dos carros movidos a vento

Clique aqui e conheça o projeto As Melhores Soluções Sustentáveis.

Segundo Patrice Rolland, engenheiro de software da equipe, os computadores são os cérebros dos carros. Por meio de sensores instalados nos chassis, os notes calculam os ajustes a ser feitos para obter um melhor desempenho na Racing Aeolus, corrida realizada no município de Den Helder, na Holanda, em todo mês de agosto.

E, se com a energia do ar, a coisa vai bem, o pessoal das águas também quer tirar algum proveito das técnicas aprimoradas por Rolland e sua turma: a Marinha da Holanda já procurou esses estudantes para entender como poderiam aplicar o modelo dos carros movidos a vento em equipamentos da força naval.

Leia também: Maior regata do mundo navega contra o plástico nos oceanos

Curadoria: engenheiro Bernardo Gradin, especialista em soluções sustentáveis.