Informar

Horta no fundo do mar abriga frutas e verduras

Por: Redação

Plantas precisam de muita luz, temperatura constante, proteção contra pragas e água para crescer. E um ótimo lugar para ter tudo isso é dentro do mar. Isso mesmo. Foi com essa convicção que o italiano Sergio Gamberini criou o Jardim do Nemo, um projeto que abriga uma horta no fundo do mar com frutas e verduras.

Nelas, estruturas que lembram estufas transparentes fixadas no fundo do mar guardam vasos com mudas de alface, morango e outras espécies vegetais que, normalmente, crescem em terra. Elas ficam na costa de Noli, na Itália.

A estufas da horta são instaladas a uma profundidade de 5 a 8 metros
As estufas das horta são instaladas a uma profundidade de 5 a 8 metros

O ar que fica no interior da estufa impede que a água invada e preencha esse espaço. A estrutura é transparente e não é instalada a mais que oito metros de profundidade, então a luz alcança as mudas, sem problemas.

Como o mar é um corpo-d’água bastante grande, a temperatura ambiente também se mantém constante. Além de não haver intempéries, como tempestades e ventanias. Nem pragas ou insetos, como formigas e pulgões.

As plantas crescem em um ambiente com temperatura constante e com água doce
As plantas crescem em um ambiente com temperatura constante e com água doce

Clique aqui e conheça o projeto As Melhores Soluções Sustentáveis.

Já a água de que as plantas necessitam é obtida ali mesmo. A água do mar dentro das estufas evapora e se condensa nas paredes, formando gotas – livres de sal – que são absorvidas pelas plantas.

Gamberini é presidente do grupo Ocean Reef, que fabrica equipamentos de mergulho, com escritórios nos Estados Unidos e na Itália. Portanto, nadar e trabalhar sob a água não é novidade para ele e sua equipe. O projeto Nemo’s Garden teve início em 2012.

Essa forma de cultivar uma horta no mar, dizem os responsáveis pelo projeto, pode ajudar a produzir alimentos para a população que segue aumentando no planeta. A tecnologia poderia ser usada em regiões cujas condições econômicas, ambientais ou morfológicas dificultam a agricultura. Ainda segundo a empresa, as estufas, que eles chamam de biosferas, não agridem o ambiente aquático e são sustentáveis.

Em vez de roupa de jardinagem, é preciso vestir equipamentos de mergulho na horta no fundo do mar
Em vez de roupa de jardinagem, é preciso vestir equipamentos de mergulho na horta no fundo do mar

O projeto segue em constante evolução, com monitoramento dos dados do crescimento das plantas e parceiras com empresas interessadas nessa nova forma de produção agrícola.

Leia também: Farelo de trigo vira prato comestível

Curadoria: engenheiro Bernardo Gradin, especialista em soluções sustentáveis.