Ben & Jerry’s discute LGBTfobia e leva tema ao Carnaval de SP

Por: Publi |

Engana-se quem pensa que a comunidade LGBT só sabe fazer festa. O movimento vive um momento ápice na abrangência da luta, e muitos projetos vão bem além das baladas e blocos. E já era hora. São incontáveis agressões físicas e morais a cada dia no País. Em 2016, 340 homicídios LGBTs foram registrados, e só neste ano, 60 mortes já estão documentadas no site Homofobia Mata, ligado aos grupos Gay da Bahia e Quimbanda Dudu.

O limite da intolerância já foi delimitado e a ajuda está vindo de todos os cantos, até de marcas inusitadas como a Ben & Jerry’s, que traz em sua bagagem uma longa história de apoio às causas LGBTs. Essa relação nasceu junto com o sorvete: a marca oferece direitos iguais para casais do mesmo sexo desde 1989, e desde de então vem apoiando essa comunidade em diversas oportunidades.

Além de patrocinar o Festival LGBT do carnaval de rua, o Love Fest, que na segunda-feira, dia 27 de fevereiro, reuniu mais de 100 mil pessoas em prol do amor à diversidade, a marca reconhece que cada vez mais é necessário engrossar o caldo sobre a importância do fervo e da luta dentro e fora do movimento LGBT. Para isso, dias antes do desfile, lançou um importante debate, sediado em uma de suas lojas:Carnaval e LGBT: problemas e potências”, uma discussão entre um homem trans, uma mulher trans, uma mulher cis negra e bissexual de Parelheiros, uma drag militante e uma bicha gorda – todos assim auto-identificados. O evento aconteceu na loja Ben & Jerry’s da Oscar Freire.

No dia do debate, a Ben & Jerry’s cedeu para a Casa 1 toda a renda obtida com avenda do sabor Chocolate Chips Cookie Dough, em todas as lojas de São Paulo e no BarraShopping.

“Hoje estamos aqui discutindo que amor é amor – isso é lindo. Mas estamos em pleno 2017 ainda precisando discutir o nosso afeto. Como seria melhor se só pudéssemos sentir livremente e compartilhar isso. Por isso que eu existo: pra aproximar, através da arte e do lúdico, o conteúdo necessário e urgente que a sociedade precisa sobre as nossas vivências LGBT”, disse Tchaka, a drag queen  que apresentou as últimas três Paradas LGBTs de São Paulo.

Justamente para falar disso com naturalidade que a Rua Livre, empresa idealizadora do Love Fest, propôs realizar um casamento gay em pleno carnaval de rua. A Ben & Jerry’s, obviamente, abraçou a ideia. Heberth, 47, e Cássio Santos, 39, celebraram sua união numa cerimônia umbandista – num momento único durante a festividade -, transmitido e registrado pelo Catraca Livre.

O casal está junto há 7 anos e estava ansioso para celebrar a união durante a festa que eles mais gostam.

Não à toa, esses movimentos são sentidos e absorvidos por quem está a favor da luta: “Ações como essas são de suma importância, não só pelo fato de o carnaval representar uma data em que assédio, exotificação e deboche das pessoas LGBTs (nas marchinhas, fantasias e no assédio) são explícitos, como também pela conjuntura nacional que ameaça os poucos direitos conquistados. Por exemplo, o direito ao casamento igualitário, lindamente celebrado aqui em uma cerimônia de umbanda”, afirmou o funcionário público André Leal, que pela primeira vez acompanhou uma  celebração de casamento homoafetivo.

Manifestações e discussões como estas são necessárias para que mais espaços sejam ocupados, novas formas de resistência sejam construídas e para que em um futuro próximo a diversidade não seja uma nomenclatura, mas sim uma forma de enxergar o quanto cada um de nós tem para ensinar ao outro, o quanto a diversidade é justamente a beleza da vida. “É em tudo isso que a Ben & Jerry’s acredita, e por isso apoia não só o fervo, mas a luta. Não vamos parar de lutar pelo combate à LGBTfobia e pelos direitos iguais a todos”, diz André Lopes, Diretor da Marca no Brasil.

Você pode assistir à celebração por este link, e conferir a galeria de fotos do Love Fest.

Compartilhe: