Monitoramento de robôs desmascara manipulação na web

Plataforma mostrou como a Inteligência Artificial foi utilizada para propagar a ignorância na campanha eleitoral de 2018

Por: Redação Comunicar erro

Internet: um meio quase infinito em que podemos encontrar muita informação. E pesquisar dados, além de interagir com outras pessoas. Mas nesse universo, nem tudo é o que parece ser. Assim, um debate sobre política nas redes sociais pode ser nada mais nada menos que uma forma de manipular eleitores. Uma ação de monitoramento de robôs, ou bots, na web deixou mais claro esse perverso mecanismo.

Catraca Livre criou o projeto Causando, apoiado pelo Carrefour, para mostrar como as marcas desenvolvem e assumem causas.

Como diz Joanna Monteiro, CCO da FCB Brasil, agência que realizou a campanha, é o uso da Inteligência Artificial em favor da ignorância.

Assim, os bots se passam por usuários reais e interagem em massa com os tuítes que lhes interessam. Dessa forma, estabelecem engajamento artificial, transformando temas em tendências e espalhando boatos.

Então, para fomentar uma discussão séria sobre o assunto, o veículo jornalístico Congresso em Foco lançou, em meio à disputa presidencial de 2018, o Trending Botics.

A plataforma de monitoramento de robôs mostrou como a Inteligência Artificial se tornou uma arma de manipulação política
Crédito: Reprodução/Trending BoticsA plataforma de monitoramento de robôs mostrou como a Inteligência Artificial se tornou uma arma de manipulação política

Essa plataforma on-line fez o monitoramento de robôs utilizados nesse jogo sujo de angariamento virtual de votos.

No site, os usuários puderam acompanhar diariamente os assuntos políticos mais compartilhados pelos bots.

Depois, no Dia da Mentira – 1º de abril – deste ano, a FCB Brasil apresentou um balanço da ação do Trending Botics.

O monitoramento de robôs analisou mais de 130 milhões de tuítes. E descobriu que mais de 4,5 milhões haviam sido disparados por 173 mil bots políticos.

Do total de interações falsas, 3,1 milhões citavam o então candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro ou faziam referência a ele.

Leia também: Fala de extrema direita vira luta contra preconceito a refugiados

Compartilhe: