Personagens abandonam histórias para achar crianças desaparecidas

Livros famosos sem seus protagonistas na capa foram a forma encontrada pela Livraria Cultura e pela Agência UM para discutir uma questão muito dolorida

Por: Redação |

Onde está Wally? Essa é a pergunta que se faz em relação ao rapaz de óculos redondos e blusa listrada desenhado por Martin Handford. Porém, basta um pouco de paciência para encontrá-lo. Na vida real, no entanto, nem sempre é tão simples. E é retratando o sumiço de alguns outros personagens ficcionais que uma campanha chamou a atenção para o drama tão verdadeiro das crianças desaparecidas.

Catraca Livre criou o projeto Causando, apoiado pelo Carrefour, para mostrar como as marcas desenvolvem e assumem causas.

Onde está Pedro? E Cynthia? E Erick? Essa é a pergunta que suas famílias e amigos se fazem. A resposta, porém, não está em uma página colorida.

Para dar a medida do impacto desse sofrimento, é como se os protagonistas de histórias famosas de repente não aparecessem mais nelas.

A campanha se valeu do sumiço de personagens com o intuito de chamar a atenção para crianças desaparecidas
Crédito: Reprodução/Instagram/@agenciaum_A campanha se valeu do sumiço de personagens com o intuito de chamar a atenção para crianças desaparecidas

Assim, com o intuito de simbolizar tamanha dor, a Livraria Cultura e a Agência UM criaram a iniciativa “Personagens desaparecidos”.

Nela, livros foram expostos sem os personagens principais em suas capas. Entre eles, “O Menino Maluquinho”, de Ziraldo; “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carroll; “O Pequeno Príncipe”, de Antoine de Saint Exupéry; e “Pollyanna”, de Eleanor H. Porter.

O drama das crianças desaparecidas é bem real
Crédito: Reprodução/Instagram/@agenciaum_O drama das crianças desaparecidas é bem real

Consegue imaginar essas obras sem aqueles que lhes dão nome? Pois então. Essa sensação foi transmitida aos frequentadores da Livraria Cultura no fim do mês passado.

Eles também receberam uma lista com os nomes e as fotos das crianças desaparecidas.

Essas edições se tornaram histórias vazias sem seus protagonistas
Crédito: Reprodução/Instagram/agenciaum_Essas edições se tornaram histórias vazias sem seus protagonistas

Encontrá-las, aliás, não é um passatempo parecido com o que o autor de “Onde Está Wally?” propõe. Muito pelo contrário: é a única forma de dar novo sentido a histórias de vida que ficaram tão vazias.

Encontrar essas crianças desaparecidas é a única forma de dar novo sentido às vidas de suas famílias
Crédito: Reprodução/Instagram/@agenciaum_Encontrar essas crianças desaparecidas é a única forma de dar novo sentido às vidas de suas famílias

Leia também: Vídeos trazem encontros inusitados em prol da sustentabilidade

Compartilhe: