Projeto valoriza trabalho realizado por cafeicultoras do Brasil

Grupo 3corações ajuda na capacitação dessas mulheres e disponibiliza plataforma para que coloquem à venda seus cafés especiais

Por: Redação | Comunicar erro

Sirva-se de um cafezinho enquanto lê esta matéria. Nada mais apropriado. Afinal, vamos falar sobre a produção dessa bebida. Ou melhor, de uma forma bastante especial de apoiar o seu cultivo. Trata-se de uma campanha do Grupo 3corações para valorizar o trabalho de cafeicultoras do Brasil.

Catraca Livre criou o projeto Causando, apoiado pelo Carrefour, para mostrar como as marcas desenvolvem e assumem causas.

O Projeto Florada, lançado em março de 2018 pela empresa alimentícia, permeia toda a cadeia produtiva cafeeira em busca de bons frutos para as mulheres do setor.

Tudo começa com um programa de capacitação gratuito: a plataforma Florada Educa, com videoaulas gratuitas sobre as melhores práticas na produção de cafés especiais.

Além disso, o projeto criou, em parceria com a Associação Brasileira de Cafés Especiais, um concurso para reconhecer cafés raros.

Crédito: Divulgação/Projeto Florada/Grupo 3coraçõesAlessandra Correa, da Fazenda Santo Antônio, de Araxá (MG), uma das cafeicultoras do Brasil premiadas pelo Projeto Florada

A iniciativa premiou, em sua primeira edição, cerca de 100 diferentes microlotes cultivados por cafeicultoras do Brasil.

Essas produções especiais passam a fazer parte de uma linha da marca 3 Corações, a Rituais Cafés Especiais.

Esses microlotes, então, são vendidos na loja online do Projeto Florada, no link Junte-se a elas. E 100% dos lucros obtidos com essa comercialização são revertidos para as cafeicultoras participantes.

Os cafés provêm de vários municípios do país, como Gália (SP), Piatã (BA), Duas Barras (RJ), Patos de Minas (MG), Pardinho (SP), Ribeirão Corrente (SP), Santo Antônio do Amparo (MG), Planalto de Vitória da Conquista (BA), Pedralva (MG) e Cristalina (GO).

A campanha do Grupo 3corações ganhou o Prêmio ODS 2019 Rede Brasil do Pacto Global, na categoria Grandes Empresas – Eixo Pessoas. A premiação foi criada para projetos sustentáveis alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) definidos pela ONU.

Creusa Silva Santana, da Fazenda Gerais, de Piatã (BA), na Chapada Diamantina
Crédito: Divulgação/Projeto FloradaCreusa Silva Santana, da Fazenda Gerais, de Piatã (BA), na Chapada Diamantina

Leia também: Marca questiona falta de representatividade de caminhoneiras

Compartilhe: