Festival de cinema leva filmões nacionais gratuitos ao CCBB BH

Por: Redação Comunicar erro

O Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte recebe, entre os dias 6 e 22 de outubro, o Festival de Cinema BB DTVM, que leva ao público importantes filmes nacionais da atualidade que contaram com investimento da BB DTVM. As sessões acontecem de quarta a segunda, com três sessões por dia, às 14h, às 18h e às 20h, exceto no dia da abertura, com uma sessão a menos. A entrada é Catraca Livre.

A programação do festival (confira abaixo) aborda questões variadas sobre os brasileiros, sua língua e seu cotidiano, e muitas dela despontaram em grandes bilheterias como “De Pernas para o ar”, “Minha Mãe é uma Peça”, “Somos Tão Jovens”, “Trinta”, “Um tio quase perfeito” e “Que horas ela volta?”. Esses títulos e muito outros serão exibidos no Festival.

"Que Horas Ela Volta"
"Minha mãe é uma peça"
"De pernas para o ar"
"Somos tão jovens"
"Trinta"
"Um tio quase perfeito"

No primeiro domingo de festival, destaca-se a produção “Que horas ela volta?”, da diretora Anna Muylaert que integrou diversos festivais e foi agraciado com vários prêmios, além de provocado uma catarse no público brasileiro. As atrizes Regina Casé e Camila Márdila, que viveram mãe e filha no filme, levaram o Prêmio Especial do Júri de melhor atuação do Sundance Film Festival, importante premiação americana, que contempla cineastas e artistas independentes. Anna Muylaert ganhou o troféu especial, na categoria Educação e Valores, no Prêmio Platino, o Oscar da América Latina, em uma cerimônia em Punta Del Este, no Uruguai. “Que horas ela volta?” foi também o maior vencedor do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, na sua 15ª edição, no ano passado.

Já no dia 12, em comemoração ao Dia das Crianças, a exibição de dois filmes infantis à tarde, “Tainá – a origem” e “Um tio quase perfeito”. Já à noite é a vez do mega-sucesso nacional “Minha mãe é uma peça”. O longa é fruto de um projeto do ator Paulo Gustavo, que já havia vivido a personagem Dona Hermínia no teatro e decidiu adaptar a história para o cinema. O êxito da comédia, que foi o segundo filme com maior bilheteria no ano de 2013, deve-se à força do humor, que, na trama, se dá por meio da relação de uma mãe que não mede as palavras para educar os seus filhos. O filme conquistou mesmo o público e em 2016 ganhou uma sequência.

"Flores Raras"
"Tim Maia"
"Elis"

O Festival de Cinema BB DTVM  também exibe filmes de cunho biográfico. Em “Flores Raras”, o diretor Bruno Barreto narra a relação entre a impulsiva arquiteta brasileira Lota de Macedo Soares e a tímida poetisa norte-americana Elizabeth Bishop. A produção “Tim Maia” faz um percurso por toda a vida do músico carioca, que com seu temperamento estourado e talento enfrentou adversidades e chegou ao estrelato. Outro filme que aborda uma parte significativa da música brasileira, “Elis” revela momentos marcantes da carreira da cantora gaúcha Elis Regina. Os primeiros passos do cantor e compositor Renato Russo no efervescente cenário musical de Brasília na década de 1980 é contada no longa “Somos tão jovens”.

O evento ainda conta com uma seleção especial voltada para as crianças. Na programação, para os pequenos, terá a exibição dos filmes “Uma professora muito Maluquinha” e “Meninos de kichute”.

Confira a programação:

[tab:6/10]
18h – Zoom

Esta é a história de três artistas: Edward (Gael García Bernal), vaidoso diretor de cinema que precisa refilmar o final de um longa contra sua vontade e de repente começa a ter problemas sexuais. Michelle (Mariana Ximenes), modelo brasileira que deixa o namorado e carreira nos Estados Unidos para voltar ao seu país e escrever um livro. E Emma (Alison Pill), que, desesperada para retirar seus implantes de silicone, recorre a meios duvidosos para ganhar um dinheiro extra.

https://www.youtube.com/watch?v=U-LGKs6JmaE

20h – Flores Raras

1951, Nova York. Elizabeth Bishop (Miranda Otto) é uma poetisa insegura e tímida, que apenas se sente à vontade ao narrar seus versos para o amigo Robert Lowell (Treat Williams). Em busca de algo que a motive, ela resolve partir para o Rio de Janeiro e passar uns dias na casa de uma colega de faculdade, Mary (Tracy Middendorf), que vive com a arquiteta brasileira Lota de Macedo Soares (Glória Pires). A princípio Elizabeth e Lota não se dão bem, mas logo se apaixonam uma pela outra. É o início de um romance acompanhado bem de perto por Mary, já que ela aceita a proposta de Lota para que adotem uma filha.

[tab:7/10]
14h – Uma professora muito Maluquinha

Catharina (Paola Oliveira) foi enviada à cidade grande para estudar, quando era criança. Hoje, aos 18 anos, retornou à sua cidade natal e passou a lecionar em uma escola primária. O único problema é que sua chegada começa logo a provocar certos rebuliços na cidade porque seu comportamento totalmente diferente do tradicional, pessoal e profissionalmente falando, começa a incomodar as pessoas. Mas a cidade também recebe o padre Beto (Joaquim Lopes), discípulo de Monsenhor Félix (Chico Anysio), que também retorna e acaba sendo procurado pelas tradicionais professoras que querem derrubar a querida professorinha que conquistou o coração de sua turma com seus métodos não convencionais de ensino. Sem contar que ele desperta atração nos homens da cidade, como Mário (Max Fercondini) Carlito (Cadu Fávero) e Pedro Poeta (Rodrigo Pandolfo). Pressionada, Catharina encontra-se dividida entre a paixão pelo ensino e o amor proibido, que aflora em seu coração e fica cada vez mais forte.

18h – Um tio quase perfeito

Tony (Marcus Majella) é um malandro trambiqueiro que adora se disfarçar para ganhar dinheiro de inocentes. Ele já foi estátua viva, pastor, cartomante – tudo com a ajuda de sua mãe, Cecília (Ana Lucia Torre). Depois de serem despejados de casa, os dois procuram Angela, outra filha de Cecília e com quem eles não falam há anos, que cai na lábia dos dois e se oferece para dividirem o mesmo teto. Após receber uma promoção no emprego que a obriga a passar um tempo viajando, Angela decide deixar os seus três filhos sob os cuidados do Tio Tony – o que vai ocasionar muitas confusões.

20h – Xingu

Os irmãos Orlando (Felipe Camargo), Cláudio (João Miguel) e Leonardo Villas Bôas (Caio Blat) resolvem trocar o conforto da vida na cidade grande pela aventura de viver nas matas. Para isso, resolvem se alistar no programa de expansão na região do Brasil central, incentivado pelo governo. Com enorme poder de persuasão e afinidade com os habitantes da floresta, os três se tornam referência nas relações com os povos indígenas, vivenciando incríveis experiências, entre elas a eterna conquista do Parque Nacional do Xingu.

[tab:8/10]
14h – Que horas ela volta?

A pernambucana Val (Regina Casé) se mudou para São Paulo a fim de dar melhores condições de vida para sua filha Jéssica. Com muito receio, ela deixou a menina no interior de Pernambuco para ser babá de Fabinho, morando integralmente na casa de seus patrões. Treze anos depois, quando o menino (Michel Joelsas) vai prestar vestibular, Jéssica (Camila Márdila) lhe telefona, pedindo ajuda para ir a São Paulo, no intuito de prestar a mesma prova. Os chefes de Val recebem a menina de braços abertos, só que quando ela deixa de seguir certo protocolo, circulando livremente, como não deveria, a situação se complica.

18h – Meninos de Kichute

Beto (Lucas Alexandre) é filho do meio de uma família simples e sonha em ser goleiro de futebol. O menino encontrará alguns obstáculos para realizar seu sonho, sendo o principal deles a resistência do pai, autoritário e religioso, para quem, competição é pecado. Mas Beto é persistente e não desistirá de alcançar seus objetivos, tendo como ajuda, o apoio de Dona Leonor (Arlete Sales), sua vizinha.

20h – Filhos de Bach

Marten (Edgar Selge) é um professor de música alemão que chega em Ouro Preto, no Brasil, a fim de resgatar uma partitura original composta por um dos filhos de Bach. Na cidade, o professor se envolve em algumas confusões e será ajudado pelo mineiro Candido (Aldri da Anunciação). Com o tempo, o organizado Marten terá que se adaptar à rotina brasileira e Candido o incentivará a dar aula de música para crianças da cidade. Aos poucos, ele reaprende o prazer e alegria e ensinar às crianças que estavam até então desorientadas.

[tab:9/10]
14h – Reza a Lenda

Ara (Cauã Reymond) é um homem de poucas palavras, mas muita determinação. Ele vive em uma terra devastada e sem lei que espera ansiosamente por uma espécie de messias que devolva a justiça e a liberdade, usurpadas pelo cruel Tenório (Humberto Martins). Auxiliado por sua gangue de motoqueiros armados, o rapaz irá lutar contra o universo ao seu redor e seus próprios dramas – como os ciúmes de sua mulher, Severina (Sophie Charlotte).

18h – Entre Nós

Sete jovens amigos escritores viajam para uma casa de campo para celebrar a publicação do primeiro livro do grupo. Lá, eles escrevem cartas para serem abertas dez anos depois. A viagem acaba em uma tragédia após a morte de um dos amigos. Mesmo assim, eles se reúnem dez anos depois para lerem as cartas.

20h – Corações sujos

O tratado de rendição assinado pelo imperador japonês Hirohito ao general americano Douglas MacArthur marcou o fim da Segunda Guerra Mundial. Entretanto, no Brasil o anúncio não marcou o fim do período de violência. Os imigrantes japoneses que viviam no interior do estado de São Paulo, formando a maior colônia do país fora do Japão, se dividiram em dois grupos. Os que acreditavam na notícia eram chamados de traidores da pátria, apelidados de “corações sujos”, e perseguidos por aqueles que endeusavam o imperador e ainda acreditavam na vitória do Japão. É neste contexto que vive Takahashi (Tsuyoshi Ihara), dono de uma pequena loja de fotografia e casado com Miyuki (Takako Tokiwa), uma professora primária. Incitado pelo coronel Watanabe (Eiji Okuda), ele se torna o vingador daqueles que pregam a supremacia japonesa e passa a atacar todos aqueles que não acreditam que o país foi derrotado na guerra.

[tab:11/10]
14h – Trash – A Esperança Vem do Lixo

Rio de Janeiro, Brasil. Gardo (Eduardo Luís) e Raphael (Rickson Tevez) são garotos que vivem em um lixão e sempre buscam algo valioso entre os restos despejados no local todo dia. Um dia, Raphael encontra uma carteira com uma boa quantia em dinheiro e a divide com o amigo. Entretanto, logo surge o policial Frederico (Selton Mello), que está justamente procurando a tal carteira a mando de um candidato a prefeito, Santos (Stepan Nercessian). Os garotos não revelam que a encontraram e pedem ajuda a Rato (Gabriel Weinstein), também morador do lixão, para que possam descobrir o que ela tem de tão importante. É quando percebem que, através de uma chave, embarcarão em uma verdadeira caça ao tesouro.

18h – Corações sujos

20h – Elis

Cantora desde a infância, Elis Regina (Andreia Horta) entra na vida adulta deixando o Rio Grande do Sul para espalhar seu talento pelo Brasil a partir do Rio de Janeiro. Em rápida ascensão, ela logo conquista uma legião de fãs, entre eles o famoso compositor e produtor Ronaldo Bôscoli (Gustavo Machado), com quem acaba se casando. Estrela de TV, polêmica, intensa e briguenta, a “Pimentinha” não tarda a ser reconhecida como a maior voz do Brasil, em carreira marcada por altos e baixos.

[tab:12/10]
14h – Tainá, a origem

A floresta amazônica é invadida por piratas da biodiversidade e a jovem índia Maya (Mayara Bentes) acaba tornando-se vitima dos bandidos, deixando órfã a bebê Tainá. A criança é abrigada entre as raízes de uma Grande Árvore e salva pelo velho e solitário pajé Tigê (Gracindo Jr), que passa a cuidar dela e só a devolve para seu povo cinco anos depois, quando será escolhido o novo líder defensor da natureza. Por ser menina, Tainá  (Wiranú Tembé) é impedida de se apresentar, mas pela herança da mãe, a última das guerreiras, e com o apoio da esperta menina da cidade Laurinha (Beatriz Noskoski) e do índio nerd Gobi (Igor Ozzy), a indiazinha resolve encarar os malfeitores, desvendando o mistério de sua própria origem.

18h – Um tio quase perfeito

Tony (Marcus Majella) é um malandro trambiqueiro que adora se disfarçar para ganhar dinheiro de inocentes. Ele já foi estátua viva, pastor, cartomante – tudo com a ajuda de sua mãe, Cecília (Ana Lucia Torre). Depois de serem despejados de casa, os dois procuram Angela, outra filha de Cecília e com quem eles não falam há anos, que cai na lábia dos dois e se oferece para dividirem o mesmo teto. Após receber uma promoção no emprego que a obriga a passar um tempo viajando, Angela decide deixar os seus três filhos sob os cuidados do Tio Tony – o que vai ocasionar muitas confusões.

20h – Minha mãe é uma peça

Dona Hermínia (Paulo Gustavo) é uma mulher de meia idade, divorciada do marido (Herson Capri), que a trocou por uma mais jovem (Ingrid Guimarães). Hiperativa, ela não larga o pé de seus filhos Marcelina e Juliano (Mariana Xavier e Rodrigo Pandolfo), sem se dar conta que eles já estão bem grandinhos. Um dia, após descobrir que eles consideram ela uma chata, resolve sair de casa sem avisar para ninguém, deixando todos, de alguma forma, preocupados com o que teria acontecido. Mal sabem eles que a mãe foi visitar a querida tia Zélia (Sueli Franco) para desabafar com ela suas tristezas do presente e recordar os bons tempos do passado.

[tab:13/10]
14h – Elis

18h – Xingu

Os irmãos Orlando (Felipe Camargo), Cláudio (João Miguel) e Leonardo Villas Bôas (Caio Blat) resolvem trocar o conforto da vida na cidade grande pela aventura de viver nas matas. Para isso, resolvem se alistar no programa de expansão na região do Brasil central, incentivado pelo governo. Com enorme poder de persuasão e afinidade com os habitantes da floresta, os três se tornam referência nas relações com os povos indígenas, vivenciando incríveis experiências, entre elas a eterna conquista do Parque Nacional do Xingu.

20h – Entre Nós

[tab:14/10]

14h – Uma professora muito Maluquinha
18h – Meninos de Kichute
20h – Zoom

[tab:15/10]

14h – Tainá, a origem
18h – Filhos de Bach
20h – Trash – A Esperança Vem do Lixo

[tab:16/10]
18h – Meus dois amores

Na região onde vive, o vaqueiro Manuel (Caio Blat) é invejado por sua mula, a valiosa Beija-fulô. Um matador (Alexandre Borges) aparece no local e demonstra interesse em comprar o animal, mas Manuel vende outra mula, bichada. Quando o matador descobre que foi enganado, ele quer matar o vaqueiro e desonrar a noiva deste, Das Dô (Maria Flor). Manuel tem que recorrer ao feiticeiro local, Toniquinho das Pedras (Julio Adrião) para se proteger.

20h – Flores raras

[tab:18/10]
15h – Minha mãe é uma peça

18h – Meu passado me condena

Dona Hermínia (Paulo Gustavo) é uma mulher de meia idade, divorciada do marido (Herson Capri), que a trocou por uma mais jovem (Ingrid Guimarães). Hiperativa, ela não larga o pé de seus filhos Marcelina e Juliano (Mariana Xavier e Rodrigo Pandolfo), sem se dar conta que eles já estão bem grandinhos. Um dia, após descobrir que eles consideram ela uma chata, resolve sair de casa sem avisar para ninguém, deixando todos, de alguma forma, preocupados com o que teria acontecido. Mal sabem eles que a mãe foi visitar a querida tia Zélia (Sueli Franco) para desabafar com ela suas tristezas do presente e recordar os bons tempos do passado.

20h – Trinta

Cinebiografia do carnavalesco Joãosinho Trinta (Matheus Nachtergaele), o filme traça o retrato do artista a partir de um recorte no tempo. Dos anos 1960, quando se mudou do Maranhão para o Rio de Janeiro a fim de se tornar bailarino do Theatro Municipal; até 1974, ano em que assume o posto de carnavalesco da Acadêmicos do Salgueiro, tradicional escola de samba do carnaval carioca. Do anonimato à consagração, Trinta aborda a amizade e o rompimento de Joãozinho Trinta com o cenógrafo e carnavalesco Fernando Pamplona (Paulo Tiefenthaler), o preconceito sofrido dentro da própria família e a inveja despertada no barracão.

[tab:19/10]
15h – Vai que cola

Após ser vítima de um golpe que roubou todo seu dinheiro, Valdomiro (Paulo Gustavo) se muda para a pensão da Dona Jô (Catarina Abdalla) no Méier, bairro localizado no subúrbio do Rio de Janeiro, onde pretende escapar da polícia. Para sobreviver, ele passa a vender quentinhas pelas redondezas. A situação muda mais uma vez quando Andrade (Márcio Kieling), seu ex-sócio, consegue fazer com que Valdomiro recupere sua cobertura no Leblon. Mas há um problema: como a pensão foi interditada pela Defesa Civil, Dona Jô e os demais moradores se mudam para a casa de Valdomiro.

18h – Os homens são de Marte

Ironia. Essa é a definição ideal para a situação de Fernanda (Mônica Martelli), de 39 anos, que trabalha organizando a cerimônia mais importante do imaginário feminino, o casamento, mas é solteira. Forte devota do amor, a produtora lida com os mais diversos tipos de homem e reserva grande parte do seu tempo à procura do par perfeito.

20h – Meu nome não é Johnny

João Guilherme Estrella (Selton Mello) nasceu em uma família de classe média do Rio de Janeiro. Filho de um diretor do extinto Banco Nacional, ele cresceu no Jardim Botânico e frequentou os melhores colégios, tendo amigos entre as famílias mais influentes da cidade. Carismático e popular, João viveu intensamente os anos 80 e 90. Neste período ele conheceu o universo das drogas, mesmo sem jamais pisar numa favela. Logo se tornou o maior vendedor de drogas do Rio de Janeiro, sendo preso em 1995. A partir de então passou a frequentar o cotidiano do sistema carcerário brasileiro.

[tab:20/10]
15h – Meus dois amores

18h – De pernas para o ar

Alice (Ingrid Guimarães) já passou dos 30, é casada com João (Bruno Garcia), tem um filho e é uma executiva bem sucedida. Na verdade, ela é uma típica workaholic, que tenta se equilibrar entre a rotina de trabalho e a família, mas perde o emprego e o marido no mesmo dia. É quando ela passa a contar com a ajuda da vizinha Marcela (Maria Paula), que mostra que é possível ser uma profissional de sucesso sem deixar os prazeres da vida de lado. Para isso, Alice vira sócia da nova amiga em um sex shop falido e descobre os prazeres dos sex toys.

20h – Que horas ela volta?

[tab:21/10]
15h – Tim Maia

Cinebiografia do cantor Tim Maia, baseada no livro “Vale Tudo – O Som e a Fúria de Tim Maia”. O filme percorre cinquenta anos na vida do artista, desde a sua infância no Rio de Janeiro até a sua morte, aos 55 anos de idade, incluindo a passagem pelos Estados Unidos, onde o cantor descobre novos estilos musicais e é preso por roubo e posse de drogas.

https://www.youtube.com/watch?v=nJtwv7D5BZo

18h – Trinta

20h – Cássia Eller

Um dos grandes nomes da música brasileira, Cássia Eller marcou a década de 1990. Um filme sobre a cantora, a mãe, a mulher que expôs sua vida pessoal e rompeu barreiras, deixando um belo legado social e artístico.

[tab:22/10]

15h – Cássia

18h – Somos tão jovens

Brasília, 1973. Renato (Thiago Mendonça) acabou de se mudar com a família para a cidade, vindo do Rio de Janeiro. Na época ele sofria de uma doença óssea rara, a epifisiólise, que o deixou numa cadeira de rodas após passar por uma cirurgia. Obrigado a permanecer em casa, aos poucos ele passou a se interessar por música. Fã do punk rock, Renato começa a se envolver com o cenário musical de Brasília após melhorar dos problemas de saúde. É quando ajuda a fundar a banda Aborto Elétrico e, posteriormente, a Legião Urbana.

20h – Tim Maia

[tab:END]


https://www.facebook.com/CatracaLivreBH/videos/1660515950647318/

Compartilhe: