Dimenstein: a prova de que Damares é uma manipuladora religiosa

Por: Gilberto Dimenstein | Comunicar erro
Tags: #News

Nas redes sociais, os meios de comunicação passaram a ser apontados como desrespeitosos com as crenças da pastora Damares Alves – e até, imagine só, coniventes com o abuso sexual que ela afirma ter sofrido.
É uma total inversão.
A verdade é que Damares Alves, apoiada por Bolsonaro em seus ataques à imprensa, manipulou sua visão de Jesus no pé de goiaba.
Era uma história que, entre fiéis no templo, foi apresentada de um jeito fervoroso, como se o encontro fosse um fato.

No vídeo, Damares Alves descreve fervorosamente em detalhes como viu Jesus subir na árvore, sabendo que a platéia de religiosos estaria disposta a acreditar em cada palavra. Basta ver aqui.

Ela, portanto, se mostrou com uma mulher iluminada capaz de ter um contato direto com o divino, a ponto de travar um diálogo. O que, obviamente, aumentava seu poder como pastora.

Basta ver a capa de seu livro.

Mas diante do público geral, ela deu uma explicação mais aceitável, atribuindo o fato à imaginação de uma criança.

“As crianças têm amigos imaginários. Hoje os pais compram unicórnios para as crianças, que não existem. Eu, aos dez anos de idade, quando eu quis me suicidar, eu tive o meu amigo imaginário. Eu estava em cima de um pé de goiaba, eu ia tomar veneno, ia morrer. Era muita dor na alma por todos abusos que passei. E, quando estava em cima do pé de goiaba, não vi um unicórnio, não vi um amigo imaginário. Eu vi o que eu acreditava: Jesus”, disse ela a jornalistas

O grave foi tentar usar o caso como se os meios de comunicação não tivessem sensibilidade com o abuso sexual.

Vamos lembrar: quem liderou as denúncias de pedofilia cometidos por religiosos sempre foi a imprensa.

Compartilhe:

Autor: Gilberto Dimenstein

Jornalista, educador e fundador da Catraca Livre.