Dimenstein: não foi o Bolsonaro que perdeu. Fomos eu e você.

Por: Redação | Comunicar erro

Está correndo uma interpretação de que o grande derrotado com a aprovação no Senado do aumento dos ministros do STF seria o presidente eleito Jair Bolsonaro. Junto com a interpretação, há quem comemore a derrota.

Afinal, horas antes da votação do Senado, ele criticou o aumento, alegando que não seria o momento adequado para elevar ainda mais os gastos públicos.

Muita gente, nas redes, comemorou a “derrota” de Bolsonaro.

Mas quem perdeu não foi ele. Fomos nós. Eu e você.

Todos sabemos que aos cofres públicos estão vazios, com graves consequências para o enfrentamento de questões cruciais como segurança, saúde ou educação.

Esse aumento do STF, por causa do efeito cascata, vai custar até R$ 6 bilhões ao nosso bolso. Nosso significa meu e seu, leitor.

É mais uma evidência do poder das corporações, do qual, aliás, sempre fez parte: como deputado quase sempre foi contra medidas que reduzissem os privilégios de servidores.

Não se vai reduzir os rombos sem mexer nesses privilégios – basta ver o que pagamos para bancar as aposentadorias dos servidores públicos.

Meu único consolo é que, em poucas horas, a petição para Temer vetar o aumento foi assinada por 500 mil pessoas – e não para de crescer.

Aliás, convido o leitor a assinar aqui.

Compartilhe: