Modelos de idosos tatuados para inspirar um ministro de Bolsonaro

Por: Gilberto Dimenstein | Comunicar erro

Um dos principais auxiliares de Jair Bolsonaro, Onyx Lorenzoni fez uma tatuagem para nunca mais se esquecer do erro que cometeu ao receber R$ 200 mil de verba de caixa 2.
Depois, descobriu-se que, além desses R$ 200 mil, tinha recebido mais R$ 200 mil também de Caixa 2.
Revelou-se também que ele pagou passagens áreas com dinheiro público para campanha eleitoral.
Agora vem uma denúncia ainda mais pesada – e vai exigir muitas tatuagens.
Trecho do Estado de S. Paulo

“O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), usou 80 notas fiscais de uma empresa de consultoria pertencente a um amigo de longa data para receber RS 317 mil em verbas de gabinete da Câmara dos Deputados entre os anos de 2009 e 2018. As informações foram reveladas pelo jornal Zero Hora na manhã desta terça-feira, 8. Entre as 80 notas, 29 foram emitidas em sequência, o que indica que Onyx teria sido o único cliente da firma.

A empresa chamada Office RS Consultoria Sociedade Simples pertence a Cesar Augusto Ferrão Marques, técnico em contabilidade filiado ao DEM, o partido de Onyx. Marques também trabalhou em campanhas políticas do parlamentar. O jornal informa, ainda, que Marques não tem registro no Conselho Regional de Contabilidade. Ele é o responsável pela contabilidade do DEM no Rio Grande do Sul”.
Para servir de modelo, mostro aqui alguns exemplos.

Compartilhe:

Autor: Gilberto Dimenstein

Jornalista, educador e fundador da Catraca Livre.