Olavo de Carvalho, guru de Bolsonaro, foi vítima de abuso sexual

Por: Gilberto Dimenstein | Comunicar erro

O filósofo Olavo de Carvalho, atualmente um católico conservador, tem o hábito de usar em abundância e obsessivamente a palavra “cu” em seus postos.
Mas, dessa vez, essa palavra tem um significado diferente: ele relata o abuso sexual que sofria na escola.
Pelo relato, era algo que acontecia com certa frequência já que teriam sido várias vezes.
Mas esse fato não infuenciou uma posição favorável à educação sexual nas escolas.
Olavo de Carvalho disse à Folha: “ Quanto mais educação sexual, mais putaria nas escolas. Está ensinando criancinha a dar a bunda, chupar pica, espremer peitinho da outra em público. Acham que educação sexual está fazendo bem, mas só está fazendo mal.”
Uma professora reagiu à afirmação:

Olavo de Carvalho relata também mais dois casos.

Não há registro aparente sobre reflexões do filósofo sobre esses episódios tiveram alguma impacto psicológico. Nem se haveria qualquer relação com o fato de ter abandonado precocemente a escola: ele saiu na 8ª série do ensino fundamental.
Pode-se dizer que o tema abuso sexual e infância é algo importante em seus comentários em seus artigos sobre pedofilia.

Compartilhe:

Autor: Gilberto Dimenstein

Jornalista, educador e fundador da Catraca Livre.