A cada 10 pessoas com pressão alta, 9 não sentem nada; faça teste

Doença é quase imperceptível, mas causa inúmeros problemas de saúde e até morte; saiba se proteger

Por: Redação Comunicar erro
Crédito: Myriam Zilles/PixabayDe cada 10 pessoas com pressão alta, 9 não sentem nada

Você sabia que a pressão alta é um mal silencioso que pode levar à morte? Como a hipertensão arterial é geralmente assintomática, conhecer melhor a doença pode evitar muitos problemas futuros.

Segundo o InCor (Instituto do Coração do Hospital das Clínicas), de São Paulo, de cada dez pessoas com pressão alta, nove não sentem nada – ou seja, não percebem nenhum sintoma. Justamente por isso, a doença pode se agravar sem que seja combatida a tempo. A unidade hospitalar, inclusive, elaborou um teste sobre a hipertensão.

Assim, quem tem antecedente familiar ou apresenta fatores de risco, deve consultar um médico para verificar se possui a doença e começar um eventual tratamento o quanto antes – já que a pressão alta age sem avisar e, quando reparamos que existe, pode ser tarde.

Como a doença age?

A pressão alta é a contração dos vasos sanguíneos que prejudica o bombeamento do sangue pelo coração. Ela é diagnosticada quando os valores de pressão são maiores ou iguais a 14 por 9, em diversas medições. Além de genéticos, os fatores que levam à doença podem ter origem ambiental, dependendo dos hábitos de vida.

Crédito: Silviarita/PixabayDe cada 10 pessoas com pressão alta, 9 não sentem nada

Quais são os fatores de risco?

Quem tem sobrepeso ou obesidade, além de diabetes ou colesterol alto, tem mais chance de adquirir pressão alta. Consumir muito sal também leva à doença — portanto, é indicado não só maneirar no saleiro, como também evitar alimentos processados, como molhos prontos e enlatados em geral, que costumam apresentar elevados níveis de sódio. Sedentários, fumantes ou pessoas que bebem muito também correm riscos.

Os pacientes que sofrem de hipertensão precisam seguir com rigor a medicação prescrita pelo médico. Além disso, adquirir hábitos de vida mais saudáveis — como consumir no máximo cinco gramas de sal por dia, controlar o peso e praticar exercícios – é a chave para manter distantes os males causados pela doença.

Compartilhe: