Descubra o que são e onde encontrar os ‘alimentos anti-idade’

Por:

Já faz algum tempo que a indústria de cosméticos usa o conceito de anti-idade, ou antiage, em seus produtos. Essa ideia tem migrado com força para alimentos e suplementos alimentares. Alguns garantem que eles são capazes de, pelo menos, retardar o envelhecimento. Será?

É possível retardar o envelhecimento com boa alimentação?

“Na verdade, não existem ‘alimentos anti-idade’”, afirma a nutricionista Silvia Cozzolino, professora da Universidade de São Paulo (USP). “Entretanto, uma alimentação balanceada durante toda a vida, certamente, dará melhores condições de se chegar bem na terceira idade, tanto do ponto de vista de saúde como de aparência.”

Segundo a professora, o envelhecimento é normal e acarreta uma série de transformações no organismo. “Nossas células vão perdendo a capacidade de adaptação, os nutrientes são cada vez menos absorvidos e o organismo fica mais sujeito a infecções.”

Ela sugere que sejam ingeridos nutrientes que amenizem esses fatores, os chamados componentes antioxidantes, presentes em maior quantidade em frutas, hortaliças, sementes oleaginosas, dentre outros alimentos.

Antioxidante

O antioxidante, como o nome sugere, é um inibidor de oxidação. Na prática, o seu papel é o de proteger o corpo dos radicais livres  –fragmentos instáveis que se juntam com outras moléculas e causam prejuízos à saúde.

“Os radicais livres vêm sendo correlacionados como uma das principais causas do envelhecimento”, contou Clara Gameiro, nutricionista que atende pelo GetNinjas, plataforma de contratação de serviços. “A exposição a fatores externos como poluição, radiação solar, fumaça de cigarro entre outros, favorecem também a liberação desses radicais livres.”

Alimentos ricos em antioxidantes são encontrados na natureza, sem a necessidade de suplementação. “São frutas, vegetais verdes escuros, legumes, ovos, oleaginosas, cereais, carnes, peixes, frango e produtos lácteos”, exemplifica Clara Gameiro. “Vale aquela máxima: desembale menos e descasque mais (ou não, coma com a casca mesmo).”

Preventivo ou corretivo

Onde tem cor natural tem antioxidante

A função desses alimentos é preventiva e não há idade para começar a investir em uma dieta balanceada e saudável, sem excessos. “Não há estudos que mostrem reparação de danos causados pela idade”, explica a nutricionista Myleide Barbosa. “Portanto, não existe uma idade para começar a comê-los, quanto mais cedo incluirmos esses alimentos na dieta, melhor.”

“O envelhecimento é um processo contínuo, desde que nascemos começamos a envelhecer”, disse. “O segredo para ter uma vida longa e evitar os sinais do envelhecimento é sempre procurar alimentos naturais, montar um prato colorido, evitar excessos e produtos ultraprocessados.”

A nutricionista Bárbara Ramires, que atende pelo GetNinjas, lembra que a escolha dos alimentos também precisa levar em consideração o histórico familiar e peculiaridades do indivíduo. Existem alimentos que contribuem para o envelhecimento.

Além da aparência, existem as questões internas. De acordo com Bárbara Ramires, o consumo excessivo de sal, por exemplo, envelhece por matar tecidos e células, alterando seu metabolismo e bioquímica do organismo. A gordura trans tem capacidade de inflamar o corpo e prejudicar o corpo e pele.

“Outro exemplo são as bebidas alcoólicas”, diz Clara Gameiro, “e carnes processadas, como linguiça e salsicha, pois muitas contêm sulfitos e outros conservantes que podem desencadear inflamações na pele.”

Os bons alimentos

O segredo para conseguir aproveitar ao máximo dessas substâncias “anti-idade” é ter um prato colorido

As nutricionistas também indicaram alimentos que beneficiam a saúde, mas lembre-se de diversificar, nada de ficar bitolada em um só. O seu corpo precisa de muitos nutrientes diferentes, que são encontrados em várias fontes.

Para Silvia Cozzolino, também devemos considerar a água como um alimento importante para preservar a hidratação, tanto do organismo como da textura da pele. “As frutas (laranja, abacate, amora, morango, dentre outras) e as hortaliças (brássicas: couve, repolho, brócolis) são os alimentos que promovem maior ingestão de micronutrientes e compostos bioativos.”

Os alimentos ricos em vitamina C e E e em licopeno –um potente antioxidantes– é a sugestão de Clara Gameiro. “Suas principais fontes são alimentos com pigmentação amarela, laranja ou vermelha, como tomate, abóbora, pimentão colorido e laranja, óleo de fígado de peixes e vegetais folhosos.”

“A semente de abóbora poderá ser um grande aliado no antienvelhecimento já que ajuda a combater os radicais livres, que são inimigos da juventude da pele”, recomendou Bárbara Ramires. O açafrão, capaz de se defender dos radicais livres, também foi sugerido pela nutricionista.

Myleide Barbosa indica uva roxa, que pode ser consumida também em forma de suco ou vinho, por ser rica em polifenóis, dentre eles o resveratrol. “Também temos as frutas cítricas como limão e acerola, ricas em vitamina C, um poderoso antioxidante”, disse. “O segredo para conseguir aproveitar ao máximo essas substâncias é ter um prato colorido, onde tem cor natural tem antioxidantes.”

Leia também: