Nutricionista indica como reduzir o consumo de agrotóxicos

Informar

Dicas para equilibrar o consumo de sal em suas refeições

Por:

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o consumo de, no máximo, 5 gramas de sal por dia, o que equivale a uma colher de chá. Isso porque em excesso – assim como quase tudo na vida – o sal pode fazer mal ao organismo.

De acordo com o Ministério da Saúde, 70% do sal consumido pelo brasileiro vêm da alimentação feita em casa e 30%, de produtos industrializados. O que significa que é possível encontrar um equilíbrio ao preparar as refeições.

Porém, na conta dos 5g diários, também deve-se incluir o sal encontrado nos produtos industrializados. Uma recomendação dos nutricionistas é tornar a leitura dos rótulos um hábito, pois ao observar a quantidade de sódio presente em determinado alimento, fica mais fácil fazer um controle e substituições por outro com menos sódio.

Entendendo o rótulo dos produtos

A tabela de informação nutricional de cada alimento indica a quantidade de sódio presente nele e não a de sal. E vale lembrar que os dois não são sinônimos, pois 5 g de sal equivalem a cerca de 2g de sódio.

Para interpretar a informação das embalagens, se atente à sigla %VD, que significa Valor Diário e indica em percentual o quanto o produto apresenta de energia e nutrientes em relação a uma dieta de 2000 calorias.

Se na embalagem de qualquer produto, constar o valor 90% do VD de sódio, por exemplo, significa que só esse produto já alcança quase o limite total de consumo diário de sódio.

Porém, a nutricionista Marcia Godoy, da Sociedade Brasileira de Hipertensão, lembra que diminuir o consumo de sódio não é apenas verificar a quantidade deste nutriente na tabela nutricional especificada no rótulo. “É preciso consumir a porção recomendada e avaliar se o uso de determinado produto rico em sódio pode representar um dos ingredientes de uma preparação que será consumida por vários membros da família”, explica.

Necessário na medida certa

Embora mereça atenção, o cloreto de sódio é um mineral considerado essencial em uma dieta equilibrada e para o bom funcionamento do organismo, isso porque ele é capaz de manter o equilíbrio de líquidos dentro e fora das células. Sem ele, o organismo não conseguiria reter líquidos e as células perderiam seu volume.

“A manutenção da pressão arterial ideal também é uma função do sódio, desde que o seu consumo não seja excessivo”, explica a nutricionista Marcia Maria Godoy, da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH).

Além da regulação da pressão arterial, o sódio também tem papel fundamental no desempenho de outras funções essenciais ao organismo, como a contração muscular, transmissão de impulsos nervosos e ritmo cardíaco.

“O sal ainda é a principal fonte de iodo da nossa alimentação. A falta de iodo pode causar uma série de problemas, como hipotireoidismo e abortos espontâneos”, alerta o nutricionista Rodolfo Peres, especialista em nutrição esportiva.

Rodolfo também lembra que o sal na quantidade correta é indispensável para quem pratica atividade física diariamente, pois ajuda a repor o sódio perdido com o suor. “Esta perda pode causar desequilíbrio eletrolítico, desidratação, tonturas e baixa pressão arterial”, afirma.

Se por um lado, o sal é essencial para o bom funcionamento do organismo, o seu consumo além da conta pode ser um tiro no pé e causar hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e renais. Por isso o equilíbrio é fundamental.

Aprenda a usar a pirâmide alimentar nas suas refeições