‘Dieta do carnívoro’ ganha adeptos; veja consequências à saúde

Praticantes defendem uma alimentação totalmente baseada no consumo de carne. Mas será que isso pode nos levar a uma vida mais saudável?

Por: Redação Comunicar erro
pedaços de carne em uma tábua de corte
Crédito: @bigacis/istock“Dieta do carnívoro” ganha adeptos; saiba as consequências à saúde

Assim como temos observado um aumento no número de veganos — que não consomem nenhum tipo de derivado animal — , o oposto também está acontecendo. A “dieta do carnívoro” ganha cada vez mais adeptos.

Essa alimentação tem como um de seus principais ativistas Shawn Baker, atleta e cirurgião ortopedista com mais de 90 mil seguidores no Instagram.

Baker prega uma alimentação totalmente baseada no consumo de carne (embora ovos também sejam permitidos). Segundo Baker, a prática ajuda a emagrecer, dormir melhor, reduzir dores nas articulações, desintoxicar a pele, regular a pressão arterial, melhorar a vida sexual e ganhar energia.

Mas será que a dieta 100% carne faz bem à saúde? O Equilibre-se ouviu Lais Duarte Batista, nutricionista da USP integrante do GAC (Grupo de Pesquisa de Avaliação de Consumo Alimentar). Segundo ela, há muitos riscos envolvendo essa alimentação.

Excesso e desequilíbrio

“Quando tratamos de nutrição e saúde, qualquer comportamento excessivo e desequilibrado pode resultar em consequências”, diz a especialista. “Nenhum alimento é completo e suficiente para suprir, isoladamente, todas as nossas necessidades.”

Ela explica que o consumo elevado de carne está associado ao desenvolvimento de câncer, principalmente colorretal — vale observar que muitos adeptos enfrentam diarreia. Além disso, essa dieta eleva os níveis plasmáticos de homocisteína, que tem relação com o risco de doenças cardiovasculares, podendo levar ao AVC e ao infarto.

Gastronomia Argentina
Crédito: Divulgação/Azul Latina“Dieta do carnívoro” ganha adeptos; saiba as consequências à saúde

De acordo com a nutricionista, a alimentação ideal “é uma alimentação variada, capaz de suprir adequadamente todas as necessidades nutricionais dos indivíduos, com alimentos de qualidade e em quantidade suficiente”.

Para isso, é importante levar em conta, também, a realidade de cada um. Mas, para Duarte, uma coisa é certa: nutrição não é restrição. “Não existe pílula ou alimento mágico capaz de curar tudo”, diz. “Muitas vezes as pessoas buscam na nutrição uma solução única, fácil e definitiva para tudo que as acometem. Acham que este ou aquele alimento milagroso vai emagrecê-las e melhorar sua qualidade de vida.”

A especialista alerta, porém, que o caminho para a saúde não é esse. “É um conjunto de hábitos e escolhas, que, associados, levam a esses resultados. E dentre esses hábitos não figura um único alimento, mas, sim, um padrão alimentar variado e equilibrado”, explica.

Ela é taxativa ao resumir a “dieta do carnívoro”: “No final, é só mais uma das milhares de dietas restritivas e ineficazes que aparecem no mundo da nutrição e precisamos descontruir”.

Compartilhe: