Informar

Recompensa alimentar ajuda ou atrapalha a dieta?

Escolher um dia da semana para enfiar o pé na jaca divide a opinião dos especialistas

Por: Redação

O publicitário Diego Montes tem uma rotina puxada de trabalho e também de exercícios físicos. Ele e a namorada praticam corrida e seguem uma dieta mais regrada em calorias durante a semana. A recompensa para tanto sacrifício, no entanto, vem durante o fim de semana. O hambúrguer com fritas, refrigerante e sobremesa são sagrados.

“Esse foi o jeito que eu achei para não ficar frustrado por ter que abrir mão completamente do que eu gosto de comer durante a semana. E quando eu como um chocolate ou hambúrguer, faço isso sem culpa nenhuma”, conta Diego.

montagem com um prato saudável e um hambúrguer
Crédito: reprodução/InstagramDiego mostra no Instagram a refeição da dieta e o lanche do fim de semana

A ideia de tirar folga da dieta não é nova. Quem nunca abriu mão de guloseimas por uns dias para se entregar ao prazer de degustar algo que gosta no outro? No universo fitness, essa prática – chamada de ‘day off’ – é ainda mais comum. Mas será que funciona?

O conceito divide opiniões dos especialistas. Para a nutricionista Thaisa Cunha, dar umas escapadas da dieta, principalmente quando ela é muito restrita, ajuda as pessoas a continuarem estimuladas a segui-la por um período mais prolongado. No entanto, ela recomenda cuidados ao se fazer isso.

“Tirar um dia para comer sem nenhum controle tudo o que queria durante a semana pode ter efeito contrário, principalmente quando o objetivo é o emagrecimento”, afirma Thaisa. Para ter sucesso, ela diz que equilíbrio é fundamental. “O que eu recomendo é escolher um único momento para extravasar. Se comeu feijoada com sobremesa no almoço, evite comer pizza e fast-food no jantar. Eleja apenas uma refeição para comer o que quer”, orienta.

Já a nutricionista Patrícia Chaves, não é a favor da ideia da recompensa alimentar, porque isso pressupõe uma dieta muito rígida. “Quando se está seguindo um programa alimentar muito restritivo, há um risco muito grande de compulsão alimentar porque as pessoas criam muita expectativa para o momento da folga e acabam comendo em excesso. Por isso mesmo, eu não costumo passar dietas com muitas restrições para os meus pacientes. O que trabalhamos é a ideia de refeições de qualidade, com regularidade e com direito de satisfazer as vontades quando elas surgem”, explica.

Dicas para não cair na armadilha da recompensa e perder o controle sobre a comida:

prato com salada e pizza
Crédito: Pixabay/PexelEquilíbrio e variedade é a chave para não derrapar na alimentação
  • Varie ao máximo o cardápio, de preferência, sem eliminar completamente algum grupo alimentar (a menos que se tenha restrição);
  • Respeite sua fome, sua saúde e suas vontades;
  • Equilibre a quantidade e a frequência com que você consome refeições mais calóricas;
  • Permita-se comer os alimentos desejados, mas em uma porção controlada;
  • Coma com regularidade, não fique muito tempo sem comer;
  • Nunca adote uma dieta radical sem o acompanhamento médico