Rotina de exercícios influencia positivamente na alimentação

Pesquisa observou que um treinamento físico de 15 semanas mudou os padrões alimentares de adultos jovens

Por: Redação Comunicar erro
mulher com roupa de academia e comendo cereais e banana
Crédito: Artursfoto/istockUma maior duração do exercício foi associada à redução natural de carboidrato e gordura

Um estudo realizado na Universidade do Texas, nos Estados Unidos, confirmou algo que o senso comum já apontava: quem mantém uma rotina de exercícios físicos tende a comer de maneira mais saudável e equilibrada.

Os cientistas chegaram a essa conclusão depois de analisar por 15 semanas o padrão alimentar de 2.680 universitários com idades entre 18 e 35 anos.

Durante o experimento, os voluntários, que eram sedentários, passaram a adotar uma rotina ativa com meia hora de exercícios aeróbicos três vezes por semana. Eles podiam escolher entre bicicletas ergométricas, esteiras ou aparelhos elípticos e tinham sua frequência cardíaca monitorada para registrar a duração e intensidade do exercício.

Por meio de um questionário, eles registraram seus hábitos e padrões alimentares antes e após o treinamento físico. No total, foram realizadas 4.355 observações, com 102 itens alimentares analisados.

No final do período, os pesquisadores observaram que, embora os universitários não fossem instruídos a mudarem seus padrões alimentares, houve uma tendência natural de escolha por alimentos saudáveis e redução da vontade de petiscar.

legumes em um saco de papel
Crédito: Seb_ra/istockParticipantes preferiam alimentação com vegetais e folhas verdes

Uma maior duração do exercício foi associada à redução das preferências pelo padrão alimentar ocidental, com consumo alto de gorduras, carne vermelha e carboidratos e consumo mínimo de frutas e vegetais de folhas verdes.

Já quando a intensidade do exercício era maior, houve um aumento da preferência por frutas, verduras, legumes, peixes e aves. Uma dose maior de exercício foi relacionada à menor preferência pelo padrão de lanches, que é caracterizado pela ingestão de alimentos de alta energia e baixa densidade de nutrientes, como doces, sorvetes e salgadinhos fritos.

Pesquisas anteriores já tinham descoberto que o exercício moderado pode reduzir a preferência por alimentos ricos em gordura animal por conta de mudanças nos níveis de dopamina. Outros estudos também já mostraram uma associação entre a intensidade do exercício e a quantidade de hormônios reguladores do apetite no organismo.

Essas evidências confirmam por que a atividade física pode ser um caminho possível para criação de hábitos alimentares saudáveis e uma dieta mais equilibrada.

Compartilhe: