Treino Gaia resgata os movimentos naturais do corpo

Método trabalha todas as habilidades do corpo humano de maneira lúdica e divertida

Por: Redação Comunicar erro
pessoas na praia se exercitando
Crédito: reprodução/InstagramTreino Gaia explora todas as habilidades humanas de forma natural

O que você acharia se te dissessem que subir em árvores, se equilibrar em pedaços de troncos e engatinhar na grama não só faz bem para o condicionamento físico, como para saúde mental e energética? Essa reconexão com a natureza realizando movimentos naturais do corpo é a base do treino Gaia, uma metodologia com um pé no treinamento funcional, mindfulness, biologia evolutiva e práticas somáticas.

Herica Sanfelice, a criadora do treino Gaia, diz que a atividade busca dar um novo sentido à experiência corporal. “Somos dotados de muitas capacidades, mas nossas habilidades foram atrofiadas pelo desuso”, diz a educadora física, que hoje dá curso de formação para professores, além de aulas nas unidades do SESC.

A ideia do método Gaia é trabalhar todas as habilidades humanas. Agachar, saltar, rolar, escalar, rastejar, equilibrar-se, arremessar, correr e caminhar fazem parte do treino. Tudo de maneira divertida, prazerosa e lúdica. “Tem muito essa coisa de brincadeira porque somos mamíferos e, como seres mamíferos, a gente usa a brincadeira para se conectar com as pessoas também. As crianças fazem isso muito bem e, com o tempo – por um padrão social – deixamos de brincar”, comenta Herica.

Quem acompanha de longe uma aula pode pensar que são movimentos muito simples e, na realidade, são mesmo! Mas, assim como outros tipos de exercícios, existem progressões, que podem deixar a tarefa um tanto difícil.

Sentar-se e levantar-se, por exemplo, pode não ser tão fácil para muitos, inclusive para atletas com os corpos tão viciados em movimentos mecânicos. Para essas pessoas, o movimento natural costuma representar um grande desafio.

Um convite para tirar os sapatos

O treino Gaia é preferencialmente praticado em meio à natureza, em parques, na areia, na grama, mas nada impede de realizar os movimentos naturais em um ambiente artificial, como uma academia, por exemplo.

Só que, diferente de outras atividades realizadas indoor, o treino Gaia propõe deixar o tênis de lado e colocar os pés no chão. Dessa maneira, com os pés mais livres, sem sapatos para apertá-los e limitá-los, é possível explorar melhor toda a movimentação. “Quanto maior a tecnologia do tênis, menor a tecnologia dos pés”, compara a professora.

A ideia de tirar os sapatos, segundo ela, é dar cada vez mais estímulos para o corpo funcionar, além de explorar as sensações e texturas diferentes das superfícies, sejam elas geladas, úmidas, porosas, ásperas ou macias.

Confira alguns movimentos que são explorados em aula:

  • Movimentos de sentar-se no chão
  • Caminhar descalço em diferentes superfícies
  • Pendurar-se em barras para acionar os membros superiores
  • Carregar coisas leves e pesadas
  • Descansar em cócoras
  • Lançar e receber objetos, como bolas
  • Escalar árvores, pedras ou qualquer outra superfície
  • Equilibrar-se (isso ajuda a trazer a mente para o momento)
mulher se equilibrando na árvore
Crédito: Fábio AndradeSubida em árvores trabalha os membros superiores e o equilíbrio

De acordo com a professora Herica Sanfelice, não há movimento certo ou errado e sim pouca variabilidade. Uma rigidez na lombar, por exemplo, pode indicar falta de movimentação. Quem passa muito tempo sentado tende a apresentar essa queixa. “Quando a pessoa faz poucos movimentos para realizar uma tarefa, aquilo está errado porque ela não tem mobilidade suficiente. É preciso pensar no erro como algo que será construído, porque  o medo de errar é que inibe as pessoas de se moverem naturalmente”.

Diferente de outros tipos de treinamentos e exercícios físicos, o treino Gaia não é voltado para a estética corporal, está mais ligado ao bem-estar, saúde e ao equilíbrio emocional.

O trabalho também envolve a respiração e o movimento mindful. “Mesmo a brincadeira é muito mindful, quando você está brincando, você não consegue pensar em outra coisa. É diferente de quando você está fazendo um movimento mecânico,  puxando um aparelho. A ideia do treino Gaia é você acessar o cérebro mais instintivo”, completa Herica.

Compartilhe: