Em avião, professora cita alunos de baixa renda e recebe doações

Por: Redação Comunicar erro

Nos Estados Unidos, uma professora de 27 anos estava viajando de avião quando comentou, a bordo, sobre seu trabalho com alunos de baixa renda. Comovidos, outros passageiros deram a ela mais de US$ 500 (quase R$ 2.000) em dinheiro.

Em avião, professora cita seus alunos de baixa renda e recebe doações de outros passageiros

A professora de Chicago Kimberly Bermudez sempre foi do tipo conversador, de acordo com informações do jornal “The Washington Post”. Então, quando ela estava em um voo da Southwest Airlines para a Flórida para visitar seus pais, na semana passada, o passageiro do banco ao lado perguntou-lhe o que ela fazia para viver. A docente contou sobre seus alunos do ensino fundamental, todos provenientes de famílias de baixa renda. “Alguns alunos da escola são desabrigados”, ela disse.

Ele perguntou a ela: “Qual é a parte mais desafiadora do seu trabalho?” Bermudez respondeu que era quando as crianças chegavam à escola com fome e quando via os pais imigrantes trabalhando duro para fornecer necessidades básicas para suas famílias. “Esses pais são incríveis”, afirmou a professora.

O homem contou que sua empresa doava para escolas como a dela, e ela disse com entusiasmo que uma ajuda para a Carlos Fuentes Elementary, onde ela atuava, seria muito bem-vinda. Explicou que todos os professores e administradores ajudavam as crianças com o próprio dinheiro e compravam roupas íntimas, sabão e material escolar –tudo porque se importavam com elas, explicou.

Professora (foto) recebe doações para seus alunos de baixa renda

Um momento depois, ela sentiu um tapinha no ombro. Virou-se e viu um homem sentado na fileira atrás dela, que tinha um bebê no colo. Ele pediu desculpas pela “espionagem” e entregou a ela uma pilha de dinheiro. “Faça algo incrível”, ele disse.

Bermudez olhou para baixo e viu uma nota de US$ 100. Ela se lembrou de seus dias de babá, quando seus pais diziam para nunca contar o dinheiro na frente de alguém. Aceitou o presente e agradeceu, chorando.

“Eu disse: ‘Você não tem ideia do quanto isso significa. Sejam livros ou mochilas, vou me certificar de dar algo para as crianças’”, contou a professora.

Quando o avião pousou em Jacksonville, outro homem disse que também estava ouvindo a conversa e que não tinha muito dinheiro, mas que lhe dava US$ 20.

Em seguida, um terceiro colaborador: “Como se meu coração não pudesse estar mais feliz, o homem da frente também se virou”, disse Bermudez. Ele disse que tudo o que tinha eram US$ 10 e deu o dinheiro a ela.

Reconhecimento

Ela chorava de gratidão. “Eu disse: ‘Eu não estou aqui para pedir dinheiro; realmente estou aqui nesse avião só para ver meus pais ”, relembrou. “E um deles disse: ‘Eu sei. É por isso que estamos dando a você. Use sua voz. Use seu dom de falar.”

Quando saiu do avião, Bermudez não tinha ideia de quanto dinheiro estava segurando. Sua mãe a buscou e, quando ela entrou no carro da mãe, contou o dinheiro: cinco notas de US$ 100, uma nota de US$ 20 e uma nota de US$ 10. Ela estava com US$ 530, tudo dado a ela por gentis estranhos, tudo para ajudar as crianças que ela amava.

Bermudez publicou a história no Facebook e recebeu milhares de curtidas e compartilhamentos. Alguns amigos de seus pais viram a mensagem e também enviaram doações.

Leia a reportagem completa no “The Washington Post

Compartilhe: