Barbie engenheira de robótica chega ao mercado nesta semana

Por: Redação |

O mundo de fantasia das bonecas Barbie acabou de ficar mais “high-tech”. Nesta semana, a fabricante Mattel anunciou a nova carreira de Barbie: engenheira de robótica.

Boneca Barbie engenheira de robótica chega ao mercado nesta semana e custa cerca de R$ 53

O brinquedo está disponível on-line por US$ 13,99 (cerca de R$ 53). Ela vem com óculos de segurança, um computador portátil do tamanho de uma boneca e um pequeno robô humanoide.

A fabricante contratou Cynthia Breazeal, professora associada de artes e ciências da mídia no MIT (Massachusetts Institute of Technology) e fundadora da empresa de robôs sociais Jibo para garantir que a boneca e seus acessórios refletissem a profissão com precisão. O robô é semelhante a um que você pode encontrar em oficinas e as peças de roda dentada do robô realmente funcionam.

A boneca já ganhou versões em diversas ocupações de ciência, tecnologia, engenharia e matemática, incluindo engenheira de computação, astronauta e desenvolvedora de jogos. Mas essa é mais do que apenas uma boneca, dizem especialistas em “stem” (do inglês, science, technology, engineering and mathematics, disciplinas de ciências exatas) envolvidos em sua criação e lançamento.

Barbie engenheira de robótica chega ao mercado nesta semana; ela já ganhou diversas profissões

“Estou animada porque [a boneca] permite que nossas meninas imaginem um futuro que eu não tinha na idade delas”, diz Kimberly Bryant, engenheira elétrica e fundadora da Black Girls Code, uma ONG que recebeu uma doação da Mattel para ajudar as garotas interessadas nessas disciplinas. Alguns participantes das oficinas de robótica da organização receberão a nova boneca.

A empresa também oferecerá sete experiências gratuitas de codificação por meio da Tynker, uma plataforma on-line que oferece aulas para crianças. As lições se concentrarão em lógica, solução de problemas e outras habilidades de codificação.

Bryant acredita que a engenheira de robótica Barbie, que vem em quatro tons de pele, pode ajudar as jovens a se imaginarem no campo “stem” ainda muito cedo –ainda são poucas as mulheres exercendo essas profissões.

Leia a reportagem completa no Mashable

Compartilhe: