Campanha quer zerar fila de espera por cadeira de rodas  

Por: Redação Comunicar erro

A fila de espera por uma cadeira de rodas é um dos maiores problemas enfrentados hoje pelo brasileiro com deficiência. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), só no Brasil, cerca de 2 milhões de pessoas precisam de um equipamento para se locomover, mas apenas 10% conseguem ter acesso ao fornecido pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

A psicóloga e publicitária Mara Gabrilli, que ficou tetraplégica após um acidente de carro
A psicóloga e publicitária Mara Gabrilli, que ficou tetraplégica após um acidente de carro

A média de espera é de cerca de 2 anos, mas em alguns Estados pode chegar a 5. “É aflitivo assistir a um cenário onde a população que mais carece de atendimento básico é também a que mais se depara com a miséria de boas ações e muitas vezes com o descaso das autoridades”, diz a psicóloga e publicitária Mara Gabrilli, que ficou tetraplégica após um acidente de carro.

Para reverter esse cenário, o IMG (Instituto Mara Gabrilli), organização sem fins lucrativos que desenvolve e executa projetos para melhorar a qualidade de vida de pessoas com deficiência, colocou no ar a campanha Roda Gigante. O objetivo, afirma a gestora, é “despertar a sociedade para essa realidade, tirando o brasileiro com deficiência da invisibilidade”.

Através de financiamento coletivo, a meta é arrecadar R$ 300 mil e zerar a lista de espera de 3.300 pessoas com deficiência que aguardam uma cadeira de rodas adaptada no SUS. Além de resgatar o direito de ir e vir, o equipamento permite uma postura adequada e evita as escaras, que são feridas que se desenvolvem na pele de quem passa muito tempo em uma mesma posição.

Por QSocial

Compartilhe: